Publicidade

Estado de Minas ATLÉTICO

Entenda as exigências do Talleres que dificultaram contratação de Bustos pelo Atlético

Embora os agentes que representam o Galo sigam esperançosos, negociação esfriou em função da distância dos valores desejados pelo clube argentino


21/07/2020 04:00


O desejo do técnico Jorge Sampaoli de comandar o atacante Nahuel Bustos no Atlético está mais longe de se tornar realidade. Embora o interesse dos brasileiros em contratar a jovem promessa de 22 anos ainda exista, uma série de discordâncias com a diretoria do Talleres fez a negociação esfriar nos últimos dias. O Superesportes entrevistou os presidentes dos dois clubes para entender o que torna as tratativas tão difíceis.

As negociações por Bustos começaram em janeiro, mas, à época, pouco evoluíram. Após as chegadas de Sampaoli e do diretor de futebol Alexandre Mattos, o Atlético retomou as conversas em junho, desta vez com mais ímpeto. Agentes que intermedeiam as tratativas apresentaram oferta de 4,2 milhões de euros (R$ 25,8 milhões) por 50% dos direitos econômicos.

O modelo sugerido para a divisão desse valor, no entanto, não agradou ao Talleres. À reportagem, o presidente Andrés Fassi declarou que, do total ofertado, 2,8 milhões de euros (R$ 17,2 milhões) iriam aos cofres do clube argentino. Os outros 1,4 milhão de euros (R$ 8,6 milhões) seriam deduzidos em comissões para os intermediários e impostos decorrentes da transição. Pelo valor proposto, o dirigente diz que venderia apenas 20% dos direitos econômicos do jogador.
 
 
O Atlético ofereceu 4,2 milhões de euros por Bustos, que marcou 15 gols em 38 jogos pelo seu clube(foto: Alejandro Pagni/AFP)
O Atlético ofereceu 4,2 milhões de euros por Bustos, que marcou 15 gols em 38 jogos pelo seu clube (foto: Alejandro Pagni/AFP)
 
Desde que as negociações foram retomadas, o Talleres tem se mostrado inflexível. Fassi exige 7,5 milhões de euros (R$ 46,2 milhões) livres de impostos e comissões por 70% dos direitos de Bustos. O valor, inclusive, é superior aos 7 milhões de euros (R$ 43,1 milhões) que o próprio presidente disse ao Superesportes, uma semana atrás, que havia pedido ao Atlético.

"O Atlético quer o melhor atacante da América Latina sem pagar. É impossível. Ou pagam 7,5 milhões de euros ou esperamos para negociar com a Europa", afirmou o mandatário do clube argentino. Outro empecilho é a forma de pagamento. Segundo Fassi, o Atlético pretende diluir o valor em parcelas a serem quitadas ao longo de dois anos, enquanto o Talleres deseja contar com o dinheiro à vista.

No domingo, o canal TyC Sports, da Argentina, noticiou que o Galo enviou mais uma proposta para contratar Nahuel Bustos. Entretanto, conforme o jornalista César Luis Merlo, o Talleres recusou os US$ 7,5 milhões brutos (R$ 40,35 milhões) por 70% dos direitos econômicos e deu sequência ao planejamento de vender o camisa 10 a um clube da Europa.

Os italianos Milan e Roma, o espanhol Sevilla, o português Porto, o russo Krasnodar e dois clubes da França buscaram informações sobre o atacante, que marcou 15 gols em 38 jogos por seu clube e representou a Seleção da Argentina que obteve a classificação ao torneio de futebol dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2021.

RESPOSTA ALVINEGRA 

Embora publicamente adote um discurso pessimista, o Atlético ainda não desistiu totalmente da negociação por Bustos. O clube segue em busca de um “camisa 9” e, apesar de ter outros alvos, vê no argentino uma possibilidade de investimento que dê retorno técnico e financeiro, com projeção de revenda para o futebol europeu.

O presidente Sérgio Sette Câmara, porém, reluta em se aproximar das cifras pedidas por Fassi. O entendimento do mandatário alvinegro é que Bustos tem potencial para evoluir, mas ainda não vale tanto quanto exige o Talleres, especialmente num momento de crise financeira internacional, em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

“Eles mandaram uma proposta que não gostamos e não demos continuidade na conversa. Um jogador como o Bustos ainda não é um jogador de Seleção Argentina consolidado, que já tem ali um nome ou uma coisa assim. É um bom jogador, que tem se destacado, mas ainda está longe de ser essa estrela que o Talleres está achando que ele é”, declarou.

Sette Câmara classificou como “absurdo” o valor exigido pelo Talleres e garantiu que as negociações só evoluirão em caso de redução na pedida. Em meio aos entraves na busca por Bustos, o Atlético ampliou o radar para outros nomes. “Diante dos valores falados por eles, nós encerramos a conversa e ponto. Se amanhã os caras vierem com outro valor, nós vamos analisar, mas aí tem que ver se a gente já não vai ter contratado esse camisa 9”.

A procura por um centroavante ganha ares de urgência, especialmente com a lesão de Diego Tardelli na última terça-feira. O atacante de 35 anos sofreu fratura, luxação e lesão de ligamentos no tornozelo direito durante a vitória alvinegra por 3 a 2 no jogo-treino contra o América, na Cidade do Galo. Sette Câmara projeta que o jogador volte aos gramados só em 2021.

Por outro lado, a atuação de Marrony como “camisa 9” móvel no jogo-treino aumentou as esperanças de Sampaoli e da torcida. Contratado durante a pausa no calendário do futebol por conta da pandemia, o ex-jogador do Vasco marcou dois gols e foi o grande destaque da atividade.












*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade