Publicidade

Estado de Minas

Hora da reconstrução

Novo presidente do Cruzeiro, Sérgio Rodrigues diz que pagamento de dívidas na Fifa e quitação de salários são prioridades. Ele revelou otimismo com time para Série B Tiago Mattar


postado em 22/05/2020 04:00 / atualizado em 22/05/2020 00:33

Sérgio Rodrigues derrotou Granata por 269 votos, contra 74: ele pediu pacificação política no clube, mas disse que cobrará ex-dirigentes por desvios(foto: TÚLIO SANTOS/EM/D.A PRESS)
Sérgio Rodrigues derrotou Granata por 269 votos, contra 74: ele pediu pacificação política no clube, mas disse que cobrará ex-dirigentes por desvios (foto: TÚLIO SANTOS/EM/D.A PRESS)

Eleito ontem novo presidente do Cruzeiro para um mandato entre junho e dezembro, o advogado Sérgio Santos Rodrigues, de 37 anos, apontou o pagamento de dívidas emergenciais na Fifa e a colocação em dia dos salários dos jogadores como prioridades. Na disputa com o pecuarista Ronaldo Granata, ele bateu o oponente por 269 votos contra 74. Houve ainda sete votos em branco e um nulo.
 
Eleição reuniu vários torcedores no Barro Preto: gritos de guerra e ataques a ex-dirigentes celestes(foto: Fotos: ALEXANDRE GUZANSHE/EM/D.A PRES )
Eleição reuniu vários torcedores no Barro Preto: gritos de guerra e ataques a ex-dirigentes celestes (foto: Fotos: ALEXANDRE GUZANSHE/EM/D.A PRES )
Tentando deixar para trás um clima que provocou profundas divisões internas nos últimos anos, ele acenou com pacificação. “A gente precisa de paz, precisa que a torcida nos abrace e acredite no nosso projeto para que o clube suba para a Série A no ano que vem e a gente tenha um belo centenário”, apontou, indicando dois dos grandes desafios pelos quais sua gestão ficará responsável. Está prevista nova eleição em outubro ou novembro, dessa vez para o triênio 2021/2023.
 
Eleição reuniu vários torcedores no Barro Preto: gritos de guerra e ataques a ex-dirigentes celestes(foto: Fotos: ALEXANDRE GUZANSHE/EM/D.A PRES )
Eleição reuniu vários torcedores no Barro Preto: gritos de guerra e ataques a ex-dirigentes celestes (foto: Fotos: ALEXANDRE GUZANSHE/EM/D.A PRES )
Desde o fim de dezembro o clube é administrado por um Conselho Gestor, já que houve a renúncia de Wagner Pires de Sá. A administração anterior esteve envolvida numa série de escândalos, além de ter mergulhado o time em dúvidas que superam R$ 800 milhões (balanço de 2019 traz prejuízo de R$ 394 milhões) e, em campo, levado o time à Segunda Divisão do Brasileiro.
 
Rodrigues antecipou que suas primeiras prioridades serão pagar dívida na Fifa, de R$ 11 milhões, que vence na próxima sexta-feira (compra do atacante Willian Bigode do Zorya, da Ucrânia, em 2014) e quitar salários de funcionários e jogadores. Se não honrar o compromisso no exterior, o Cruzeiro pode ser novamente punido. Na terça, foram retirados seis pontos do clube na Série B pelo não pagamento de 850 mil euros ao Al-Wahda, dos Emirados Árabes, referentes ao empréstimo do volante Denílson, em 2016.
 
O novo presidente revelou que tem discutido com conselheiros e empresários meios de conseguir recursos imediatos tanto para colocar os salários em dia quanto pagar o clube ucraniano, mas não indicou quais seriam as fontes. O elenco celeste está com dois meses de salários atrasados.
 
Hoje mesmo o mandatário tem uma reunião agendada para tentar uma solução para a dívida de R$ 11 milhões. Esse é apenas um dos débitos que terão que ser pagos neste ano de ações movidas na Fifa por clubes do exterior e atletas. “A prioridade é a de sexta-feira (dia 29, com o Zorya). Já as outras, como vencem em sua maioria no segundo semestre, a gente vai começar a dar um tratamento nelas também para ver se consegue algum parcelamento, ver se alguém pode aceitar jogador também para a gente poder caminhar dessa forma”, declarou.
 
Ao relembrar a disputa com Wagner Pires na eleição em que foi derrotado, em 2017, fez um desabafo. “É um grito guardado na garganta há três anos”. E prometeu cobrar os ex-dirigentes, como Wagner, acusados de desvios financeiros no clube. “Vamos correr atrás de quem lesou o Cruzeiro, civil e criminalmente”.
E demonstrou otimismo sobre o time para a disputa da Série B. “Já chegou o Régis, temos a volta do Cabral, Robinho e Jean. Com bastante treinamento, com esse reforço que chegou, com o Angulo e, posteriormente, outros reforços, a gente vai fazer um belo trabalho técnico e conseguir o acesso à Série A”.

CONSELHO A eleição no Ginásio do Barro Preto foi tensa, especialmente para ex-dirigentes como o ex-presidente Zezé Perrella e o ex-diretor Sérgio Nonato, bastante hostilizados por torcedores. Na disputa pelo Conselho Deliberativo, também com mandato tampão de sete meses, venceu por dez votos a chapa liderada por Paulo César Pedrosa, de 65 anos. Ele é presidente licenciado do Conselho Fiscal, para o qual foi eleito em 2017 com apoio de Wagner Pires de Sá. Giovanni Marcos Baroni recebeu 102 votos, Paulo Sifuentes teve 99, e Luis Carlos Rodrigues, 34.

Promessa de três reforços no Brasileiro


O Cruzeiro está com três contratações bem encaminhadas, indicou ontem Carlos Ferreira Rocha, interlocutor do Núcleo Dirigente Transitório com o departamento de futebol: um lateral direito, um lateral-esquerdo e um atacante de beirada. As conversas com esses jogadores, que não foram identificados pelo dirigente, estariam avançadas. “Eu não vou falar nomes por questão ética mesmo e para não atrapalhar a negociação. Mas já está tudo bem adiantado", disse o dirigente.
 
Os reforços foram definidos em acordo com o técnico Enderson Moreira, o diretor de futebol Ricardo Drubscky e o Conselho Gestor. Mais do que nunca, o Cruzeiro precisa montar um time competitivo para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro, já que começará a competição com seis pontos negativos, em punição imposta pela Fifa pelo não pagamento de empréstimo do volante Denílson ao Al Wahda, dos Emirados Árabes, no valor de 850 mil euros (R$ 5,3 milhões). A decisão é definitiva e não é passível de recurso.
 
Depois de dar férias aos jogadores, a Raposa ainda não voltou aos treinamentos porque espera todos os resultados de exames para evitar o risco de propagação da COVID-19. Como parte dos testes foi inconclusiva, a bateria seria repetida e a definição sobre retorno fica para a próxima semana.
 
A perspectiva é de que o grupo seja bem diferente daquele que fez a última partida pelo Campeonato Mineiro contra o Coimbra (derrota por 1 a 0, em março). Uma das novidades já confirmadas é o meia-atacante Régis, de 27 anos, contratado do Bahia, indicado por Enderson Moreira, com quem trabalhou no tricolor.

SEGUNDONA Já pensando na Série B do Brasileiro (ainda sem data para começar), ele projetou uma disputa árdua para o Cruzeiro, principalmente pelo fato de o clube celeste nunca ter participado da competição. Porém, confia em um bom trabalho da equipe mineira para retornar à Primeira Divisão no ano do centenário: “Série A é difícil, mas Série B é muito mais. Temos que matar um leão por dia, não podemos perder pontos, pois é um campeonato extremamente difícil e com equipes muito boas. Mas estamos no Cruzeiro e precisamos fazer por merecer o respeito. Vamos enfrentar times cascudos que, às vezes, na técnica não vamos vencer”.

Enquanto isso...Quatro crimes sob investigação


O Ministério Público de Minas Gerais confirmou que ex-dirigentes do Cruzeiro – entre eles, o ex-presidente Wagner Pires de Sá, o ex-vice-presidente de futebol Itair Machado, o ex-diretor-geral Sérgio Nonato e o ex-diretor jurídico Fabiano de Oliveira Costa – são investigados sob suspeita de quatro crimes: organização criminosa, lavagem de dinheiro, apropriação indébita e falsificação de documentos/falsidade ideológica. Há inquérito em torno dos mesmos escândalos em curso na Polícia Civil. Na segunda-feira, a diretoria celeste entregou relatório da Kroll com mais de 600 páginas ao MP indicando conexões, algumas familiares, supostamente vinculadas a contratos irregulares e desvios financeiros envolvendo membros da antiga administração e conselheiros.


Os desafios do eleito


» Volta à elite
Fortalecer o Cruzeiro para a Série B do Campeonato Brasileiro, que vale o retorno à elite

» Dívidas
Pagar pendências emergenciais, como os cerca de R$ 11 milhões por Willian Bigode, que vencem dia 29

» Salários
Manter em dia os salários de jogadores, já que há duas folhas atrasadas, um problema recorrente

» Reestruturação
Encontrar novos profissionais para áreas como financeiro, marketing e comercial

» Base
Categorias de base estão sem diretor desde que Ricardo Drubscky foi promovido ao profissional

» Centenário
Cuidar do planejamento, como museu ou memorial, para 2021. Clube completa 100 anos em janeiro

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade