Publicidade

Estado de Minas

Vitaminado para reagir

Com Marcelo Moreno comandando o ataque em sua reestreia, Cruzeiro tenta reencontrar a vitória diante do Uberlândia para voltar ao G-4. Time terá ainda duas mudanças na defesa


postado em 01/03/2020 04:00

Na terceira passagem pela Raposa, o boliviano Marcelo Moreno diz que está pronto para ajudar o time a retomar o caminho de triunfos(foto: BRUNO HADDAD/CRUZEIRO)
Na terceira passagem pela Raposa, o boliviano Marcelo Moreno diz que está pronto para ajudar o time a retomar o caminho de triunfos (foto: BRUNO HADDAD/CRUZEIRO)

Há quatro jogos sem vencer, o Cruzeiro aposta em mudanças para reencontrar o caminho das vitórias diante do Uberlândia, hoje, às 16h, no Mineirão, pela sétima rodada do Campeonato Mineiro. A principal delas é a saída do contestado Roberson e a entrada no time do atacante Marcelo Moreno, que iniciará, assim, a terceira passagem pelo clube. Mas o técnico Adilson Batista resolver alterar também outros setores e até o esquema tático para tentar voltar ao G-4 do Estadual.

No caso do ataque, a esperança é melhorar o desempenho ofensivo, que vem deixando a desejar. A Raposa passou em branco pela primeira vez na temporada na derrota por 2 a 0 para o Tombense, há 10 dias, mas não vinha agradando mesmo quando não saiu derrotada, caso da vitória por 1 a 0 sobre Villa Nova e os empates por 1 a 1 com América e Patrocinense.

Claro que a entrada do boliviano não promoverá por si só a melhora, mas o próprio jogador espera ajudar a equipe a evoluir. “Estou muito feliz pela reestreia e espero fazer um grande jogo”, diz Marcelo Moreno, que admite não estar 100% em ritmo de jogo, mas está pronto para tentar fazer a parte dele. “A gente precisa ganhar o jogo e fazer gols. Fico feliz de voltar ao Mineirão. É convocar o torcedor para que possa apoiar o time, que está precisando de apoio e carinho. E, para mim, vai ser importante esse reencontro com a torcida do Cruzeiro.”

Com ele, o Cruzeiro passa a ter uma referência a mais em campo, ao lado do goleiro Fábio e do zagueiro Leo. Isso é importante para uma equipe composta por muitos jogadores jovens e ele não se furta a ajudar as revelações.

“Na minha carreira sempre estive ao lado de bons atacantes. Na minha primeira passagem (entre 2007 e 2008) aqui, o grupo tinha jogadores como Alecsandro, Roni e Nenê. Eu os via como exemplo. Quem é inteligente vai olhar as coisas boas e tentar colocá-las em prática. Tento dar o melhor sempre, nos treinos, no vestiário, para ser exemplo para eles. Todo dia a gente vai conversando, orientando. O jogador que está começando e quer chegar longe vai ser inteligente para olhar as coisas boas dos atletas mais experientes que estão aqui no Cruzeiro”, argumenta.

Marcelo Moreno, aos 32 anos, terá de se desdobrar, pois no novo esquema proposto por Adilson Batista a marcação começa com os atacantes, que devem pressionar a saída de bola adversária. O mesmo vale para os armadores Éverton Felipe e Maurício. Eles já ajudam a formar a primeira linha de quatro quando o time está sem a bola, ao lado dos volantes Filipe Machado, Jadsom e Pedro Bicalho.

Outra mudança é na zaga: Arthur, de 20 anos, ganha a vaga de outro prata da casa, Cacá, da mesma idade, que vem falhando. Já na lateral direita entra Valdir, de 19 anos, uma vez que Edílson, de 33, está suspenso por ter recebido o terceiro cartão amarelo.

SEMANA IMPORTANTE 

O jogo de hoje será o primeiro de série decisiva da equipe nesta semana. Na quarta-feira, o Cruzeiro vai a Varginha enfrentar o Boa, às 21h30, em jogo único da segunda fase da Copa do Brasil – se houver empate, a vaga, e a cota de R$ 1,5 milhão serão definidas nos pênaltis. Já no sábado, às 19h, no Mineirão, faz clássico com o Atlético, pela oitava rodada do Estadual, em duelo que pode ser muito importante para a sequência do trabalho de reconstrução.

"A gente precisa ganhar o jogo e fazer gols. Fico feliz de voltar ao Mineirão. É convocar o torcedor para que possa apoiar o time, que está precisando de apoio e carinho”
Marcelo Moreno, atacante celeste

 
 
 
O adversário
Rival em ascensão

Se o Cruzeiro amarga quatro jogos sem vitória, o Uberlândia chega à partida de hoje vindo de dois triunfos, os primeiros no Campeonato Mineiro e nos quais marcou seus quatro gols na competição, sendo três contra o Tupynambás e um contra o Coimbra. Isso, porém, não faz o time do Triângulo Mineiro abandonar a posição de cautela. “Eles vêm de quatro jogos sem vencer, mas o Cruzeiro nunca vai deixar de ser o Cruzeiro. Precisamos entender que é um clube grande, que vai jogar ao lado da torcida, mas não temê-los. Diria que, se eles tivessem vencido o último jogo, a pressão deles seria menor. Mas temos que focar no nosso trabalho, buscar um bom desempenho. Dependendo do bom desempenho, podemos conquistar bom resultado”, disse o técnico Luizinho Lopes, que substituiu Moacir Júnior depois da quinta rodada e está com 100% de aproveitamento.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade