Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Galo nervoso

Com 28 cartões amarelos e três vermelhos na temporada, equipe aparece como uma das mais indisciplinadas e tem ficado em situações complicadas por causa das advertências, principalmente na Libertadores


postado em 02/03/2019 05:10

Zé Welison foi expulso no jogo contra o Defensor, no Independência, e desfalcará o Atlético na partida contra o Cerro Porteño, quarta-feira(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press - 27/2/19)
Zé Welison foi expulso no jogo contra o Defensor, no Independência, e desfalcará o Atlético na partida contra o Cerro Porteño, quarta-feira (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press - 27/2/19)


Atlético começa a fase de grupos da Copa Libertadores com um jogador suspenso por expulsão (o volante Zé Welison) e outros três titulares pendurados com dois amarelos: o lateral-direito Patric e os volantes Adílson e Elias. A quantidade de advertências acima da média já é um fator preocupante para o Galo em 2019, a começar pelo duelo de quarta-feira com o Cerro Porteño, às 19h15, no Mineirão, na estreia na fase de grupos. Somente na Libertadores, a equipe recebeu 11 cartões amarelos e um vermelho, o que a torna uma das mais indisciplinadas.

E as advertências trazem prejuízo financeiro ao clube. Por cada cartão, o Galo paga à Conmebol uma taxa de US$ 400 (R$ 1,5 mil), que são descontados nas cotas de participação da equipe a cada fase. O regulamento prevê que os cartões não sejam zerados para a fase de grupos.

“Não sei se o árbitro está sendo mais rigoroso com nosso time. Nessa última partida contra o Defensor, foram dois amarelos para o adversário e para nós distribuiu um monte. Não sei se o Zé Welison merecia o amarelo no primeiro lance. Não podemos dizer que somente estamos sendo imprudentes. Faz parte do futebol também”, afirma o lateral-direito Patric, que levou cartão nas duas primeiras partidas na competição, contra o Danubio.

O técnico Levir Culpi afirma que vem conversando com os jogadores sobre o exagero no número de cartões: “O cartão é assunto que falamos na palestra. Você perde um jogador na hora decisiva e isso pode pesar muito. Na Libertadores, você leva amarelo e a situação fica muito perigosa.” O treinador admitiu que errou ao não tirar Zé Welison contra o Defensor, quando o volante já estava amarelado – o jogador fez nova falta na etapa complementar e foi expulso.

No Campeonato Mineiro, o Galo também tem sido indisciplinado. Em oito rodadas, a equipe levou 17 amarelos e três atletas já cumpriram suspensões: Patric, Elias e Leonardo Silva. Além disso, a equipe já teve Adílson (no clássico com o Cruzeiro) e Jair (contra a Caldense) expulsos.

MELHOR FORMAÇÃO No retorno das atividades do grupo, Levir tentará encontrar a melhor formação para encarar o Cerro Porteño. Sem Zé Welison, o treinador pode colocar Jair entre os titulares caso queira manter o esquema com três volantes, a exemplo do que ocorreu contra o Defensor.

Patric espera que o futebol da equipe melhore a partir da fase de grupos: “São jogos dificílimos. Lutamos bem e há coisas boas e coisas que precisamos melhorar. Agora, entramos de vez na Libertadores. Uma coisa é certa. Sofremos muito na fase preliminar. Agora, vamos dar todo nosso gás no rumo desTe trabalho que começamos a exercer no ano”.

Ontem, 17.313 torcedores já haviam garantido os seus ingressos para a partida de quarta-feira, no Mineirão.


CAMPEÃO DOS CARTÕES

Libertadores

Amarelos
2
Patric, Elias, Adílson

1
Igor Rabello, Jair, Ricardo Oliveira, Réver, Fábio Santos

Vermelho
Zé Welison

Mineiro

Amarelos
3
Patric, Elias, Leonardo Silva

1
Bruninho, Fábio Santos, Hélio Júnior, Igor Rabello, Jair, Luan, Matheus Mancini, Lucas Cândido

Vermelhos
Adílson e Maidana


Publicidade