Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Brasil e Bélgica começam confrontos da Davis, em Uberlândia

Dois jogos de simples abrem hoje os duelos no Sabiazinho. Dupla mineira entrará em quadra apenas amanhã


postado em 01/02/2019 05:09

Marcelo Melo e Bruno Soares cumprimentam seus oponentes, Sander Gillé e Joran Vliegen, após o sorteio dos duelos, ontem(foto: Confederação Brasileira de Tênis/Divulgação)
Marcelo Melo e Bruno Soares cumprimentam seus oponentes, Sander Gillé e Joran Vliegen, após o sorteio dos duelos, ontem (foto: Confederação Brasileira de Tênis/Divulgação)


Um sorteio na manhã de ontem, em Uberlândia, definiu a sequência de confrontos de Brasil x Bélgica, pela da Copa Davis. O vencedor garante classificação para a fase final, que reunirá 18 equipes, em novembro, na Espanha. Além dos anfitriões, estarão na disputa pelo título França, Croácia, Estados Unidos, Argentina e Reino Unido, mais os 12 classificados da etapa preliminar.

Os jogos no Ginásio Presidente Tancredo Neves, o Sabiazinho, começarão às 16h. Nas cadeiras, cinco mil vozes para empurrar o Brasil à vitória. As partidas serão transmitidas pela BandSports.

O primeiro dia terá dois confrontos de simples. No primeiro, às 16h, Thiago Monteiro enfrentará Arthur de Greef. Em seguida, Rogério Silva, o Rogerinho – campeão da penúltima edição do BH Open, em 2010 –, terá pela frente Kimmer Coppejans. Amanhã, a partir das 14h, a rodada começa pelo jogo de duplas, que terá os mineiros Marcelo Melo e Bruno Soares enfrentando Sander Gillé e Joran Vliegen. Na sequência, duas partidas de simples, com a inversão dos duelos do primeiro dia.

Brasileiros e belgas já se enfrentaram três vezes na história e o retrospecto é totalmente favorável aos europeus, que venceram em 1966, 1993 e 2016. É a primeira vez que o confronto será no Brasil, e os jogadores aposta, na força da torcida para chegar à vitória.

Não há favorito. Nos jogos de simples, nenhuma das equipes tem jogador entre os 100 melhores do mundo. Já nas duplas, todos os tenistas envolvidos nos confrontos se encontram no Top 100. Os brasileiros estão à frente dos belgas nos dois rankings.

OTIMISMO Thiago acredita que a equipe brasileira pode sair com a vitória. “É minha sétima Copa Davis e é a primeira vez que jogo em casa. É a realização de um sonho. Conheço os dois adversários que terei nos confrontos de simples. O De Greef, meu primeiro adversário, tem um estilo de jogo variado e é um jogador que gosta de criar armadilhas para os adversários. Estou preparado para isso.” Será o primeiro duelo entre eles.

Rogerinho, por sua vez, já enfrentou Coppejans duas vezes: “Venci as duas, mas foi ainda em challengers, na categoria juvenil. Espero repetir o resultado”.

Os dois brasileiros vêm de ótimos resultados em suas estreias em 2019. Thiago foi campeão em Punta del Leste, no Uruguai, e Rogerinho, em Playdord, na Austrália. Os dois torneios foram do nível Challenger.

Os belgas também se mostram esperançosos. O capitão da equipe, Johan van Herck, lamenta a ausência de Goffin, 28º do mundo, mas, mesmo assim, demonstra confiança: “Viemos com uma equipe experiente, que tem todas as condições de vencer o Brasil. Sabemos que terão uma torcida forte a incentivá-los, mas podemos superar isso”.


Publicidade