Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Doces e sobremesas

Paçoca de baru

Receita fornecida por Maria Terezinha de Siqueira, de Arinos: (38) 3635-4126


postado em 10/03/2017 09:20

(foto: Jair Amaral)
(foto: Jair Amaral)

Ingredientes:

- 2 kg de coco de buriti ou 1 kg da polpa do buriti

- 1 litro de água

- 1 kg de açúcar cristal

- Açúcar refinado para finalizar

Bordados:

- O ponto-cruz e o crochê são especialidades das 25 integrantes de um grupo de Arinos ligado ao Centro Público de Promoção do Trabalho.

- As peças (caprichosas toalhas de mesa entre os destaques) são expostas em feiras da cidade.

- Contato:(38) 3635-1924.

Modo de Preparo:

Caso seja usado o coco do buriti, deixá-lo em um saco plástico fechado, por três dias, para amolecer. Retirar a casca e separar a polpa. Passá-la em uma peneira e levar ao fogo com os demais ingredientes, mexendo. Quando começar a desgrudar da panela, desligar o fogo e despejar em um tabuleiro salpicado com uma camada de açúcar refinado. Deixar esfriar e cortar em pedaços do tamanho desejado.



Palmeira das mil e uma utilidades

(foto: Jair Amaral)
(foto: Jair Amaral)

Uma das maiores expressões da paisagem do cerrado, o buritizeiro é a alma do povo do sertão. Da planta de tudo se aproveita e, além do mais, onde há um pé de buriti há água limpa, pois se trata de uma palmeira aquática. De suas folhas, são feitas cobertura de telhados. Das fibras, os mais belos artesanatos. Dos frutos, tiram-se óleos terapêuticos e substâncias aromáticas, além de serem ingredientes para saborosas criações culinárias.

Uma delas é o doce de buriti, uma das fontes de renda de cozinheiras da região, que aproveitam com maestria os frutos que a terra dá. Difundir esse conhecimento é a meta do trabalho feito por Maria de Siqueira, diretora de uma escola do distrito de Sagarana, em Arinos. Além do buriti, outros frutos do cerrado, como o catulé e o baru, vêm sendo apresentados nas aulas. "Queremos que os alunos tenham a capacidade de desenvolver sua renda a partir de produtos abundantes da região.

É um projeto de empreendedorismo", conta. O trabalho parece estar dando certo. Há na cidade uma boa diversidade de artigos feitos a partir do buriti, como sorvetes, caixinhas, além do inigualável doce. Uma maravilha que, com certeza, vale a pena ser testada.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade