Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Doces e sobremesas

Doce de buriti

Receita fornecida por Jovelina Francisca da Conceição, a dona Zu, de Lontra.


postado em 29/01/2016 09:10

Ingredientes:

- 50 cocos-buriti oumeio quilo de massado coco

- 1 kg de açúcar

- 2 copos deágua

Veredas

As veredas, marcadas pelosburitizeiros, representam um dos mais belostrechos do Norte de Minas. Água e árvorescontrastam, em determinadas épocas do ano, com asecura típica da região. É também

- fonte de sustentação, oferecendo aspalhas das palmeiras e os frutos para otrabalho dos artesãos.

Modo de Preparo:

Retirar a polpa

Do coco, raspando com uma colher. Passar essa

Massa na peneira de arame e acrescentar o açúcar e

A água. Colocar no

Tacho durante 20 minutos e mexer,

Pois a mistura vai fervendo e engrossando. O

Ponto

Do doce é obtido

Da seguinte forma: ponha uma bolinha de massa num

Copo com água e teste com os dedos. Mantenha no fogo até que a massa, testada na água, fique consistente. Depois que

Retirar o doce do tacho, coloque em grades de madeira ou fôrmas.



Doce de buriti

No meio da

Vegetação seca, surgem as veredas de buritis, como

Se fossem oásis na paisagem do Norte de Minas. A

Próxima parada

é Lontra, a 528 quilômetros de

Belo Horizonte, no caminho para Januária.

Os buritizeiros não são

Apenas beleza no cenário.

Têm serventia%u2026 e muita. Os

Cocos dessas palmeiras se transformam em doce

Delicioso, que tem a cor da rapadura, mas

A consistência de uma barra de doce

De leite. É preciso provar. Na entrada de Lontra, é comum ver os meninos vendendo os tabletes, de meio quilo, envoltos em papel transparente. Uma das responsáveis pela produção do doce é Jovelina Francisca da Conceição, conhecida como dona Zu, de 53 anos. Mesmo com o braço quebrado, ela encara o batente, como tem sido nos últimos 30 anos. Na cozinha de sua casa, rodeada pelos filhos, dona Zu conta que são necessários 50 cocos para fazer dois quilos de massa.

"Tudo isso?", é a pergunta natural. Ela balança a cabeça e diz que sim, com toda naturalidade. A receita também é tradição na família e, nesse caso, foi o irmão mais velho que a ensinou como retirar a polpa do coco, passar a massa na peneira de arame, adoçar e levar ao fogo. É exatamente essa "trilha" que a doceira passa agora para os filhos.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade