UAI
Publicidade

Estado de Minas MINISTRO DO STF

'Povo evangélico quer continuar ajudando o país', diz Mendonça em discurso

Confirmado como novo integrante da Suprema Corte, o pastor disse que entende que será criticado por suas decisões, mas lutará "por um país mais justo"


01/12/2021 20:45 - atualizado 01/12/2021 21:19

 André Mendonça
O ex-advogado-geral da União André Mendonça (foto: Marcos Corrêa/PR)

Após ter o nome confirmado no Supremo Tribunal Federal pelo Senado nesta quarta-feira (1º/12), o ex-advogado-geral da União, André Mendonça, comemorou com um discurso emocionado para seus apoiadores evangélicos. O magistrado disse que os protestantes têm contribuído para o crescimento do país e agradeceu o apoio que recebeu de religiosos.

"Queremos dizer que o povo evangélico tem ajudado e quer continuar ajudando esse país. Trabalhar por esse país e fazer dele uma grande nação. Fazer da Justiça brasileira referência, contribuir para que essa realidade se concretize cada dia mais", comentou Mendonça.

Família

Pastor licenciado da igreja presbiteriana, o o decano prevê que será criticado enquanto ministro do Supremo. "Eu sei que virão decisões em que serei criticado, e merecerei por vezes ser criticado. Mas podem ter a certeza de que tentarei fazer do meu país um país mais justo. Eu quero dizer que devo tudo da minha vida a Deus. Eu respiro porque Deus me dá o ar para respirar. Eu penso porque Ele me dá capacidade para pensar. E eu amo porque Ele me amou primeiro", comentou.

"Eu tenho uma família, uma esposa, filhas que são o sustento da minha vida, que choram comigo, se ajoelham comigo, que sofrem comigo, mas que se alegram comigo. Você, que está em casa, olhe para a sua família e comece a transformar esse país por sua família. Que Deus abençoe o nosso país e que Deus nos ajude a ver o nosso país uma grande nação. Obrigado a todos", finalizou Mendonça.

A indicação ao STF foi aprovada pelos senadores após oito horas de sabatina na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e votação no plenário. Ele se comprometeu com o respeito à democracia, às diferenças e falou, inclusive, que, enquanto ministro, garantirá o direito legal de pessoas do mesmo sexo se casarem.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade