Publicidade

Estado de Minas EM SOLIDARIEDADE

ALMG tem minuto de silêncio a Cuba após pedidos distintos de PSOL e Novo

Andreia de Jesus (PSOL) e Bartô (Novo) fizeram solicitações distintas, mas foram contemplados com o silêncio


14/07/2021 13:06 - atualizado 14/07/2021 13:16

Minuto de silêncio foi respeitado pela Assembleia em solidariedade ao povo cubano(foto: Reprodução/YouTube/ALMG)
Minuto de silêncio foi respeitado pela Assembleia em solidariedade ao povo cubano (foto: Reprodução/YouTube/ALMG)
Por motivos distintos, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) prestou em sessão plenária desta quarta-feira (14/7) um minuto de silêncio em solidariedade ao povo cubanoO país da América Central tem convivido, desde a última segunda-feira (12/7), com uma série de manifestações contra o governo do presidente Miguel Díaz-Canel, resultando em desaparecimentos e até mortes de protestantes.

O pedido na ALMG partiu da deputada estadual Andreia de Jesus (PSOL). Ela colocou em questão a constante intervenção dos Estados Unidos em Cuba e também citou a resistência cubana ao capitalismo, modelo que, segundo ela, "continua matando no mundo inteiro".

"Gostaria que esta Casa pudesse dedicar um minuto de silêncio aos cubanos pelas várias violências que eles vêm sofrendo nos últimos meses com as intervenções macabras do Estados Unidos em tentar tirar a soberania e o processo revolucionário deste povo. Então, eu peço aqui um minuto de silêncio para todo povo cubano que resiste ao modelo capitalista que continua matando no mundo inteiro", disse.

O pedido foi seguido de uma questão de ordem do deputado estadual Bartô (Novo). Antes de o minuto de silêncio ser concedido, o deputado colocou que a população cubana conheceu a liberdade e se colocou contra o atual sistema socialista.

"É notória a situação da Cuba, não é de hoje. Um país que vive em um autoritarismo, aonde seu povo é massacrado diariamente. Hoje, o povo com o acesso à internet conseguiu entender um pouco mais o que é liberdade, sai às ruas clamando por liberdade, e eu acho que o minuto de silêncio tem que ser pelo povo que clama pela liberdade. Obrigado", afirmou.

Presidente da ALMG e deputado estadual, Agostinho Patrus (PV) permitiu o minuto de silêncio. Na sequência, a reunião, em caráter extraordinário, seguiu com as discussões e votações - uma delas a respeito do acordo de reparação da mineradora Vale.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade