Publicidade

Estado de Minas 'PARECE O TIO PATINHAS'

Bolsonaro fala sobre salário, cartão e brinca com Guedes: 'Mão de vaca'

Presidente recebeu aumento de R$ 23 mil para R$ 25 mil, por meio de uma portaria da Advocacia-Geral da União (AGU)


13/07/2021 17:46 - atualizado 13/07/2021 18:09

Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na cerimônia de sanção da medida provisória que viabiliza a privatização da Eletrobras (foto: TV Brasil/Reprodução)
Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na cerimônia de sanção da medida provisória que viabiliza a privatização da Eletrobras (foto: TV Brasil/Reprodução)
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta terça-feira (13/7) que o ajuste em seu salário (de 23 mil para 25 mil reais) não foi feito por ele. De acordo com o presidente, a portaria foi feita pela Advocacia-Geral da União (AGU).
 
 
Durante o discurso, Bolsonaro falou sobre corrupção e afirmou que mal usa seu cartão corporativo. De acordo com o presidente, os gastos são feitos para cuidar do Palácio do Alvorada, emas e zoológico. O cartão do chefe do Executivo Federal sofre investigação pela Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara. 
 
“Os outros governos, quando queria mamar, mamavam sem problemas. Eu posso comprar, com meu cartão corporativo, qualquer coisa. Até cerveja, tubaína. Mas não gastei nada”, disse o presidente.
 
Ao falar sobre a portaria que aumentou seu salário, o presidente afirmou que o responsável teria sido o ministro Paulo Guedes, da economia. Ao ser corrigido, ele brincou com o colega. 
 
“Aí Paulo Guedes. Tu é mão de vaca mesmo né? Não dá nada”, disse. “É o verdadeiro tio Patinhas. Não dá para tirar nada dele”, brincou.
 
O presidente também discursou a favor da privatização de estatais e relembrou antigos escândalos envolvendo o Partido dos Trabalhadores (PT) que governou o país no mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da ex-presidente Dilma Rousseff. 
 

“Vocês viram o que aconteceu nos últimos 14 anos do Brasil”, disse Bolsonaro. “Tem gente que quer que essa turma volte para o governo”, disse.
 
Segundo o governo, a privatização da Eletrobras pode reduzir a conta de luz em até 7,36%. A sanção foi publicada na edição desta terça-feira do "Diário Oficial da União" (DOU). 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade