Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Guedes diz que usou 'imagem infeliz' ao dizer que China inventou o vírus

Ministro da Economia se retratou por polêmica declaração sobre o país asiático durante reunião. Ele acreditava que o encontro não estava sendo gravado


27/04/2021 20:52 - atualizado 27/04/2021 21:34

Guedes corrigiu a afirmação de que a China inventou o vírus(foto: Edu Andrade/Ministério da Economia)
Guedes corrigiu a afirmação de que a China inventou o vírus (foto: Edu Andrade/Ministério da Economia)
 
O ministro da Economia, Paulo Guedes, se desculpou sobre o que chamou de "mal-entendido" ao afirmar que a China “inventou” o vírus da COVID-19, mas que sua vacina é menos eficiente que Pfizer, "produzida nos Estados Unidos".

"O chinês inventou o vírus, e a vacina dele é menos efetiva que a do americano. O americano tem 100 anos de investimento em pesquisa. Então, os caras falam: qual é o vírus? É esse? Tá bom. Decodifica. Tá aqui a vacina da Pfizer. É melhor que as outras”, afirmou Paulo Guedes, equivocando-se, já que a Pfizer foi desenvolvida pelo laboratório alemão Biontech, fundado por um casal de cientistas turcos.

Além disso, recentemente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que considera improvável que o vírus tenha sido criado em laboratório na China.  

A declaração polêmica foi dada em reunião interna do Conselho de Saúde Suplementar (Consu), que contou com os ministros da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos; da Saúde, Marcelo Queiroga; e da Justiça, Anderson Torres, além de representantes da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Nenhum dos ministros, incluindo o da Saúde, corrigiu Guedes.
 
Em coletiva de imprensa na noite desta terça-feira (27/4), o titular da Economia disse que passou uma imagem infeliz. 

“Não foi essa a imagem infeliz que eu falei 'inventado'. Não foi inventado (o vírus). Sabemos que teve uma região de onde o vírus veio. Quis dar esse exemplo do vírus que vem de fora e atinge uma economia de mercado forte, como são os Estados Unidos. Eles conseguiram fazer uma vacina ainda mais eficaz do que da própria região de onde saiu o vírus”, afirmou.

Desculpas à China


Paulo Guedes ainda contemporizou, se dizendo grato à CoronaVac, desenvolvida pela chinesa Sinovac Biotech e fabricada no Brasil pelo Instituto Butantan.

“Somos muitos gratos à China por ter nos enviado a vacina. Não vou falar mal da vacina. Tomei a primeira dose da CoronaVac e a segunda dose nesse domingo”, ressaltou.

"Só quis enfatizar a importância do setor privado no combate ao coronavírus, Veio um vírus de fora e quando chegou a uma economia de mercado forte, eles conseguiram produzir resposta com as pesquisas. Essa resposta parece mais efetiva do que as soluções dadas no lugar onde o vírus saiu”, completou.
 
Guedes também disse que direcionou a retratação de sua declaração ao embaixador da China no Brasil, Yang Wanming; aos simpatizantes e às empresas chinesas que estejam no país sul-americano. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade