Publicidade

Estado de Minas INVESTIGAÇÃO

PC cumpre mandado na casa de vereador e ele é afastado do cargo em MG

Durantes as buscas foram apreendidos celulares, notebooks e documentos diversos; o político é investigado por compra de votos


08/03/2021 19:29 - atualizado 08/03/2021 20:29

A PC de Araxá informou que cumpriu mandatos de busca e apreensão nas residências do vereador e de um de seus assessores(foto: PCMG/Divulgação)
A PC de Araxá informou que cumpriu mandatos de busca e apreensão nas residências do vereador e de um de seus assessores (foto: PCMG/Divulgação)

 

A 2ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Araxá desencadeou nesta segunda-feira (8/3) a Operação ‘Donum’ depois de cumprir mandados de busca e apreensão nas residências do vereador Zidane, de Araxá, e de um dos seus assessores, investigados por compra de votos durante o último período eleitoral. O nome da operação vem do latim, que significa um presente, doação ou brinde, fazendo alusão à compra de votos.
 
 
Devido ao fato, a Câmara Municipal de Araxá recebeu uma intimação judicial do juiz eleitoral Renato Zupo, determinando o afastamento do vereador e de seus quatro assessores por tempo indeterminado. Mas, apesar do político estar impedido de ir até à Câmara, ele continuará recebendo o seu salário. Por outro lado, ainda conforme a determinação judicial, os seus assessores devem ser exonerados.
 
De acordo com o delegado regional, Vitor Hugo Heisler, durantes as buscas foram apreendidos celulares, notebooks e documentos diversos, os quais serão periciados e servirão como objeto de prova para instruir as investigações, que são coordenadas pelo delegado Conrado Costa da Silva.
 
O advogado de Zidane, Walter Gustavo Ferreira da Silva, afirmou por meio de nota que o vereador, que foi eleito com mais de 900 votos, desconhece a prática de qualquer irregularidade em sua campanha eleitoral, que foi pautada na honestidade e respeito à democracia.

“Seus eleitores sabem que nunca receberam qualquer quantia de dinheiro, favores ou quaisquer coisas para votarem em Zidane. 
 
O seu êxito no último pleito eleitoral se deu unicamente pelas pautas que defende e que a população araxaense sentiu a necessidade de serem defendidas no âmbito do legislativo de nossa cidade.
 
Ademais, manifesta o total repúdio de parte da mídia araxaense, que de forma infeliz e irresponsável, noticiou os fatos ocorridos de maneira sensacionalista, buscando a depreciação da figura de Zidane. 
 
Recorda-se, que a citada mídia, desde a campanha eleitoral, busca desqualificar a figura de Zidane, e as medidas judiciais cabíveis serão tomadas.
 
Por fim, todas as informações quanto aos fatos, serão prestadas ao órgão investigador e ao judiciário, por meio oficial, sempre buscando a colaboração para rápida elucidação dos fatos”, diz a nota.
 
Em entrevista ao Portal Imbiara, o vereador se pronunciou no final da tarde desta sexta-feira (8/3): 
 
“Um dos meus apoiadores tinha a promessa de ser um dos meus assessores, porém, quando eu ganhei e a Câmara foi contratar ele, não deu certo porque ele tinha a ficha suja. Então, por esse motivo não pode contratar. Então, ele começou a inventar mentiras.
 
Fui surpreendido com uma notícia triste dizendo que ele foi na Delegacia de Polícia Civil e prestou um depoimento carregado de mentiras, dizendo que eu comprei voto, pagava para colar aqueles adesivos nos carros.
 
Não tem ligação nenhuma do Zidane com compra de voto”, declarou.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade