Publicidade

Estado de Minas REAÇÃO

PSDB: Doria pede expulsão e Aécio reage

Governador de São Paulo teria ficado insatisfeito com neutralidade do partido na eleição na Câmara; mineiro diz que Doria quer se apropriar da legenda


09/02/2021 19:52 - atualizado 09/02/2021 20:05

Aécio Neves afirmou que João Doria quer se apropriar do PSDB(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
Aécio Neves afirmou que João Doria quer se apropriar do PSDB (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
Um jantar no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo de São Paulo, realizado nessa segunda-feira (8/2) pelo governador de São Paulo, João Doria, teve como pauta a expulsão do deputado federal Aécio Neves do PSDB. Correligionários e líderes da legenda estiveram na reunião. As informações são do jornal O Globo. Nesta terça-feira (9/2), Aécio reagiu e disse que Doria quer se apropriar da sigla.

Doria teria ficado insatisfeito com a neutralidade do PSDB durante a eleição para a presidência da Câmara dos Deputados. Oficialmente, o partido apoiou Baleia Rossi (MDB-SP), que fazia oposição a Arthur Lira (PP-AL), candidato do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), mas uma série de "traições" teria ocorrido.

Em nota, Aécio disse que o governador de São Paulo quer se passar por oposição de Bolsonaro para tentar “apagar” 2018, quando o termo “Bolsodoria” foi utilizado pelo então candidato ao governo paulista.

“Se o Sr. João Doria, por estratégia eleitoral, quer vestir um novo figurino oposicionista para tentar apagar a lembrança de que se apropriou do nome de Bolsonaro para vencer as eleições em São Paulo, através do inesquecível Bolsodoria, que o faça, sem utilizar indevidamente e de forma oportunista outros membros do partido”, afirmou Aécio.

Ainda na nota, o parlamentar mineiro diz que Doria quer se apropriar do PSDB e que o jantar promovido pelo governador de São Paulo tinha como objetivo afastar o atual presidente do partido, Bruno Araújo, para que o próprio Doria assumisse a posição. O deputado federal, que teve sua expulsão rejeitada do partido em 2019, afirmou que o líder do governo paulista desrespeita a democracia.

“O desrespeito à democracia interna é tamanha que hoje mesmo o governador chegou ao extremo de se autoproclamar 'presidente nacional do PSDB', cargo para o qual nunca foi escolhido por seus pares”, afirmou Aécio.

Veja, na íntegra, a nota de Aécio Neves

 
É lamentável que o governador de São Paulo demonstre tamanho desconhecimento em relação à realidade do seu próprio partido. 


O PSDB tem uma longa tradição democrática, construída muito antes de sua chegada ao partido, e que não será sufocada por arroubos autoritários de quem quer que seja.
 
O destempero do Governador se deve, na verdade, à sua fracassada tentativa  de se apropriar do partido, como ficou explicitado no jantar  promovido por ele ontem, que tinha como objetivo afastar o atual presidente Bruno Araújo, para que ele próprio assumisse a presidência do PSDB. 
 
O desrespeito à democracia interna é tamanha que hoje mesmo o governador chegou ao extremo de se autoproclamar  “presidente nacional do PSDB”, cargo para o qual nunca foi escolhido por seus pares. 
 
Quanto à coragem por ele referida, lembro que muitos de nós a temos de sobra, o que foi demonstrado ao longo de décadas no enfrentamento dos nossos reais adversários.  Assim como também temos a responsabilidade, não só de permanecermos no partido que ajudamos a construir, mas de lutarmos para evitar posturas que inibam o debate democrático que nos acompanha por toda nossa  existência. 
 
Política não se faz com arroubos pela imprensa e nem se resume a ações sucessivas de marketing.
 
Se o Sr João Dória, por estratégia eleitoral, quer vestir um novo figurino oposicionista para tentar apagar a lembrança de que se apropriou do nome de Bolsonaro para vencer as eleições em São Paulo, através do inesquecível Bolsodoria, que o faça, sem utilizar indevidamente e de forma oportunista outros membros do partido.


Criar um conflito artificial dentro do PSDB para alimentar na imprensa projetos pessoais cada vez menos críveis, é desrespeitar a história  de uma legenda construída há décadas por muitos brasileiros e que, mesmo nos momentos dos mais duros embates, jamais  viu desaparecer a boa educação e, principalmente, o respeito entre seus membros.


Lamento profundamente que esteja faltando ao governador de SP a temperança e a humildade para compreender aquilo que sabemos desde a fundação do partido: que o PSDB não tem dono e que a vontade de um jamais se sobreporá à vontade da maioria. 


Aos inúmeros companheiros de bancada e de partido que se sentiram atingidos pelas declarações do governador, reafirmo mais uma vez minha total solidariedade.
 
Deputado Federal Aécio Neves
Ex-presidente nacional do PSDB


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade