Publicidade

Estado de Minas

Mais quatro candidatos na Câmara


15/01/2021 04:00 - atualizado 14/01/2021 21:33

Fábio Ramalho (MDB-MG) é candidato, mesmo sem apoio do partido (foto: NAJARA ARAÚJO/CÂMARA DOS DEPUTADOS - 5/5/20)
Fábio Ramalho (MDB-MG) é candidato, mesmo sem apoio do partido (foto: NAJARA ARAÚJO/CÂMARA DOS DEPUTADOS - 5/5/20)

Brasília – Além de Arthur Lira (PP-AL) e Baleia Rossi (MDB-SP), que têm amplo apoio e são favoritos na disputa pela presidência da Câmara, três candidatos independentes estão de olho na cadeira do atual comandante da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O deputado André Janones (Avante-MG) lançou sua candidatura ontem, mas sem o apoio do seu partido. Em um ato na Câmara, Janones afirmou que a candidatura dele não nasce de "conchavos" e "acordos políticos". Disse que, se eleito, vai pautar a volta do auxílio emergencial e colocar em votação não somente as propostas com as quais concorda. "Faço um compromisso com essa nação, com o povo brasileiro. Se for eleito presidente da Câmara dos Deputados, no mesmo dia, horas após ser eleito, já estará pautada na primeira sessão do ano as matérias que visam à prorrogação do auxílio emergencial”, afirmou.

Janones afirmou ainda ainda que, publicamente, menos de cinco deputados anunciaram que apoiarão sua candidatura, mas que conta com os votos de dissidentes. “De forma sigilosa, talvez hoje a gente conseguiria chegar a 10 nomes”, calculou. "Essa é a eleição da traição, esse é o nome dessa eleição. Essas contas onde você vincula deputados a siglas partidárias não batem", disse.

Janones (Avante-MG) se lançou ontem, sem anuência da sua legenda (foto: RICARDO ALBERTINI/DIVULGAÇÃO - 15/10/19)
Janones (Avante-MG) se lançou ontem, sem anuência da sua legenda (foto: RICARDO ALBERTINI/DIVULGAÇÃO - 15/10/19)

Mineiro também, o deputado Fábio Ramalho é outro que quer disputar o comando da Câmara, mesmo sem o apoio do seu partido, o MDB, fechado com Baleia Rossi. “Não sou candidato do presidente Jair Bolsonaro ou de Rodrigo Maia. Sou o candidato do plenário. Quero uma pauta construtiva para o Brasil, de harmonia. Tenho condições de buscar essa harmonia, tanto com a oposição quanto com o presidente. (...) Os líderes que polarizam essa disputa pela presidência pedem por uma Câmara independente, mas é só da porta pra fora. Porque, para dentro, só serve a rédea curta e cabresto. Isso tem que mudar! Câmara independente significa deputado independente!”, declarou Ramalho pelo Twitter, na última terça-feira.

Com uma bancada de oito deputados, o partido Novo lançou a candidatura de Marcel Van Hattem (Novo-RS) para a presidência da Câmara. Será a segunda vez que o parlamentar vai concorrer ao cargo. Em 2019, ele obteve 23 votos. Van Hattem terá o apoio oficial de seu próprio partido, que tenta reforçar uma imagem de independência na Casa. "Temos convicção de que o Brasil merece mais e por isso estamos decididos a enfrentar esse enorme desafio, em uma eleição onde o que mais conta é a posição individual dos parlamentares", disse Van Hattem.

Quem também se lançou ontem à presidência da Câmara foi o deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP). Mas é candidatura avulsa, porque não tem o aval do PSDB. O lançamento foi por meio de um vídeo, divulgado pela assessoria do parlamentar. Na gravação, o deputado promete, se eleito, ter atuação independente em relação ao Poder Executivo. Como principal bandeira de campanha, ele disse que pretende acatar a abertura do pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro.  "O que eu posso prometer é uma Câmara totalmente independente, uma Câmara livre. Eu vou abrir diálogo com todos os segmentos da Câmara, com todos os partidos, inclusive”, afirmou.





receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade