Publicidade

Estado de Minas "Pecado mortal"

Ministro Onyx Lorenzoni é acusado em livro de Mandetta de gravar deputados

Ex-ministro da Saúde relata que Onyx lhe mostrou a gravação e fez ameaças aos parlamentares


25/09/2020 07:12 - atualizado 25/09/2020 08:09

(foto: Marcello Casal Jr./ Agência Brasil)
(foto: Marcello Casal Jr./ Agência Brasil)

O livro que o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta está lançando nesta sexta-feira (25), Um paciente chamado Brasil, é cheio de revelações bombásticas. Uma delas trata especialmente de um episódio com um dos ministros mais próximos do presidente Jair Bolsonaro.


No livro,  Mandetta acusa o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, do que ele chamou de "pecado mortal" na política. Mandetta afirma que, em 2016, quando Onyx era deputado e relator das "10 medidas contra a corrupção", ele lhe confessou ter gravado parlamentares durante uma reunião na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Segundo Mandetta, na ocasião Onyx era pressionado por parlamentares para alterar o texto original, proposto por procuradores da Lava-Jato - e era este o teor das conversas supostamente gravadas. Mandetta escreveu que Onyx lhe mostrou a gravação e fez ameaças aos parlamentares de que, se a pressão continuasse, iria vazá-la para a imprensa.Procurado, Onyx não respondeu.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade