Publicidade

Estado de Minas

Regina Duarte compartilha vídeo contra o 'marxismo cultural'

No vídeo, o ex-BBB Adrilles Jorge fala contra o que ele considera ser um movimento da esquerda para ganhar 'território na indústria cultural'; 'Depoimento bacana', disse a atriz


postado em 27/01/2020 18:16 / atualizado em 27/01/2020 18:41

(foto: SERGIO LIMA / AFP)
(foto: SERGIO LIMA / AFP)
A atriz Regina Duarte, que esteve em Brasília na semana passada para "um teste" antes decidir se assume a Secretaria Especial da Cultura do governo Bolsonaro, usou as redes sociais para compartilhar um vídeo em que o ex-BBB Adrilles Jorge se posiciona contra o “marxismo cultural”, termo usado por conservadores da extrema-direita.
No vídeo, o ex-BBB fala contra o que considera ser um movimento da esquerda para ganhar “território na indústria cultural”. "O que o marxismo cultural faz? Coloca negros contra brancos, mulheres contra homens, homossexuais contra heterossexuais", afirma.

A parte do vídeo postada por Regina, porém, foi editada e não mostra que no mesmo programa da rádio Jovem Pan, o Morning Show, o apresentador Guga Noblat contesta o ex-BBB e diz que o termo “marxismo cultural” foi criado após uma “teoria conspiratória que ninguém leva a sério” de verdade.

Do outro lado, Adrilles argumenta e responde que “não existe isso no mundo de hoje, pessoas se colocam no lugar de vítimas para massacrar as outras". Para o ex-BBB, o “marxismo cultural” foi criado pela mídia e indústria da arte e “povoada por esquerdistas fanáticos”. 

“Corre enquanto dá tempo, não pega essa bomba. A Regina vai entrar na secretaria que tem a maior carga ideológica do momento”, respondeu Guga no debate.

“Quem é esse cara?"’, perguntou Regina na legenda do vídeo. “Que depoimento bacana, profundo, superreal”, escreveu. O vídeo foi visto por 190 mil pessoas no Instagram.

O ex-BBB também defendeu a proibição do rock em um edital de concurso de música Fundação Nacional de Arte (Funart). E ainda elogiou o edital referente ao programa de incentivo à cultura do governo Bolsonaro anunciado por Roberto Alvim, antes de o ex-secretário ser demitido por fazer referências ao nazimo em um vídeo. De acordo com Adrilles, “o projeto do nazista era bom”.
 

Confira

 


Publicidade