Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Doria retruca Carlos Bolsonaro: 'Assunto requentado, não há nada ilegal'

Governador de São Paulo garantiu legalidade no processo


postado em 20/08/2019 12:11 / atualizado em 20/08/2019 12:23

Doria foi acusado de utilizar dinheiro público para 'facilitar caprichos pessoais'(foto: Wilson Dias/Agência Brasil)
Doria foi acusado de utilizar dinheiro público para 'facilitar caprichos pessoais' (foto: Wilson Dias/Agência Brasil)
O governador de São Paulo, João Doria Jr. (PDSB), respondeu às insinuações do vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, de que ele teria utilizado dinheiro público para "facilitar caprichos pessoais" ao usar o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para financiar a compra de uma aeronave no valor de R$ 44,03 milhões em 2010.

"Assunto requentado", cravou Doria. "Não há nada ilegal. A Embraer é uma empresa respeitada no mundo inteiro e que gera milhares de empregos no BR. O BNDES cumpriu seu papel de incentivar a indústria nacional", comentou o governador, que ainda disse que "alguns oportunistas tentam associar o financiamento que fiz a algo errado".

Doria comentou também que a "abertura da caixa preta" do BNDES, anunciada pelo presidente da instituição, Gustavo Montezano, deveria estar focada nos "bilhões emprestados pelo BNDES para obras de 'desenvolvimento' em países 'companheiros' durante a gestão do PT no Governo Federal que nunca foram pagas".


Publicidade