Publicidade

Estado de Minas

Três cidades de Minas elegeram novos prefeitos neste domingo

Com a cassação dos eleitos em 2016, foram abertas em Aguanil, Elói Mendes e Nova Porteirinha. Nessa última, a diferença entre as duas candidatas foi de apenas 22 votos


postado em 07/07/2019 19:23

Em Aguanil, 3.093 eleitores foram às urnas(foto: TRE-MG/Divulgação)
Em Aguanil, 3.093 eleitores foram às urnas (foto: TRE-MG/Divulgação)
O domingo foi de eleição para 23.055 eleitores mineiros, que fizeram questão de ir às urnas em três cidades para escolher seus prefeitos. Conquistaram a vitória nas urnas José Marcio de Oliveira (PP),  Paulo Roberto (PV) e  Joélia Santos Barbosa (MDB), candidatos em Aguanil (Centro-Oeste), Elói Mendes (Sul) e Nova Porteirinha (Norte), respectivamente. 

Entre os 3.907 eleitores de Aguanil, 3.093 foram às urnas neste domingo, sendo que 1.498 deles (53,01%) elegeram José Marcio de Oliveira. O segundo colocado, Elias Assad (DEM) obteve 1.328 votos, ou 46,99% dos válidos. Nulos e brancos somaram 267 votos.

Os moradores de Aguanil ficaram sem prefeito em razão da morte de Sebastião Eloi de Souza Campos em outubro de 2017 e posterior perda do mandato do vice, Héliton Goulart Gonçalves – cassado pela Câmara Municipal em março deste ano por infrações político-administrativas. 

Já em Elói Mendes, Paulo Roberto (PV) foi o escolhido de 7.712 eleitores, tendo derrotado Thiago Tavares (MDB), votado por 6.571 eleitores. Entre os 19.804 moradores aptos a votar, 4,2 mil pessoas preferiram não comparecer às urnas, o equivalente a 21,21% dos eleitores. 

Novas eleições foram realizadas em Elói Mendes porque a chapa eleita em 2016 – Wilian Cadorini e Marcos Miranda – foi cassada pelo Tribunal Regional Eleitoral de Minas por conduta irregular durante a campanha para o Executivo. O então prefeito, que candidatou-se à reeleição em 2016, foi condenado por ter realizado evento custeado com dinheiro público e que serviu para promover sua campanha.

A disputa foi apertada em Nova Porteirinha, onde a diferença entre as duas candidatas a prefeita foi de apenas 22 votos. Entre os eleitores que votaram, 2.067 escolheram  a chapa encabeçada por Joélia Barbosa (47,48% dos votos válidos), enquanto Regina Antônia de Souza Freitas (PSL) recebeu 2.045 votos, ou 46,93% dos válidos. 

A Justiça Eleitoral determinou a realização de novas eleições em Nova Porteirinha após ter cassado o mandato de Juracy Fagundes Jacome e Edésio Vital Neto por abuso de poder econômico e compra de votos. Eles foram condenados por um esquema de compra e distribuição indiscriminada de combustível próximo ao período eleitoral. O combustível era fornecido a qualquer pessoa que apresentasse um ticket próprio. 

Aqueles eleitores que não foram às urnas neste domingo terão até 5 de setembro para procurar a Justiça Eleitoral e justificar a ausência. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade