Publicidade

Estado de Minas

Votação de Bolsonaro muda perfil do Congresso

Resultado das urnas aponta nova configuração da Câmara dos Deputados e do Senado. Candidatos ligados ao PSL são campeões de votos, enquanto boa parte dos caciques não consegue se reeleger


postado em 08/10/2018 08:33 / atualizado em 08/10/2018 11:48

O Congresso Nacional muda a correlação de forças com a eleição de candidatos aliados ao PSL e a saída de figuras tradicionais da política brasileira(foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)
O Congresso Nacional muda a correlação de forças com a eleição de candidatos aliados ao PSL e a saída de figuras tradicionais da política brasileira (foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)

Impulsionado por Jair Bolsonaro, candidato mais votado do primeiro turno na eleição presidencial no Brasil – 49,2 milhões de votos (46,05%) –, o Partido Social Liberal (PSL) elegeu até o fechamento desta edição 52 deputados federais e quatro senadores em 14 estados.Em São Paulo, o filho de Jair, Eduardo Bolsonaro, liderou a corrida para a Câmara, com mais de 1,8 milhão de votos. Em segundo lugar ficou a jornalista Joice Hasselmann, com mais de 1 milhão. Somados, os números correspondem a 13,85% dos votos válidos no estado.

 

                           Veja aqui o resultado das eleições no primeiro turno


Os dois candidatos de Bolsonaro no estado saíram na frente do apresentador de televisão Celso Russomanno (PRB), o mais votado na disputa em 2014. Neste ano, ele recebeu cerca de 497 mil votos. Depois dele, aparece outro líder dos protestos pró-impeachment de Dilma Rousseff (PT), Kim Kataguiri (DEM), do MBL, com mais de 440 mil votos. Ele desbancou o palhaço Tiririca (PR), que também foi reeleito.Ainda em São Paulo, Bolsonaro conseguiu mais sete apoiadores, como o ator Alexandre Frota (cerca de 155 mil) e o empresário Luiz Philippe de Órleans e Bragança (mais de 118 mil), descendente dos imperadores Dom Pedro I e Dom Pedro II. Completam a lista Coronel Tadeu (98,3 mil), Junior Bozzella (78,7 mil), Carla Zambelli (76,3 mil), General Peterinelli (74 mil) e Abou Anni (69 mil).


O mais votado (Senado), Flávio Bolsonaro (PSL), o filho mais velho de Jair Bolsonaro foi o preferido de 31,36% dos eleitores ao Senado pelo Rio de Janeiro(foto: APU GOMES)
O mais votado (Senado), Flávio Bolsonaro (PSL), o filho mais velho de Jair Bolsonaro foi o preferido de 31,36% dos eleitores ao Senado pelo Rio de Janeiro (foto: APU GOMES)

No Rio de Janeiro, estado pelo qual Bolsonaro é deputado federal e concentra sua maior força eleitoral, o subtenente do Exército Hélio Fernando Barbosa Lopes liderou a corrida rumo à Câmara dos Deputados, com mais de 345 mil votos. Vereador por Niterói, Carlos Jordy alcançou a quarta colocação no estado, com 204 mil votos. Do PSL, o empresário Luiz Lima ficou em oitavo, com mais de 115 mil votos, seguido pelo delegado Antônio Furtado (10º, com 104,2 mil), Sargento Gurgel (19º, com 63 mil), Major Fabiana (21º, com 57,6 mil), delegado Felício Laterça (30º, com 48 mil), Márcio Labre (31º, com 47 mil), Lourival Gomes (34º, com 41,3 mil), Chris Tonietto (37º, com 38,5 mil), Professor Joziel (40º, com 34,7 mil) e Daniel Silveira (41º, com 31,8 mil). Os 12 parlamentares representam 26% das 46 cadeiras do Rio em Brasília.

MINAS GERAIS Em Minas Gerais, Marcelo Álvaro Antônio foi o candidato a deputado federal mais votado, com cerca de 230 mil, número correspondente a 2,28% dos mais de 15,6 milhões de votos válidos. O cabo da Polícia Militar Junio Amaral recebeu 158,5 mil votos e ficou em sétimo na lista mineira. Ele também será um dos 53 representantes do estado no Plenário em Brasília.


O mais votado (Câmara), Eduardo Bolsonaro (PSL), o filho de Bolsonaro liderou a corrida para a Câmara dos Deputados, com mais de 1,8 milhão de votos em São Paulo(foto: NELSON ALMEIDA)
O mais votado (Câmara), Eduardo Bolsonaro (PSL), o filho de Bolsonaro liderou a corrida para a Câmara dos Deputados, com mais de 1,8 milhão de votos em São Paulo (foto: NELSON ALMEIDA)

O PSL só não conseguiu candidatos entre os 10 mais votados no Distrito Federal e em seis estados (MA, PA, PI, RS, SE e TO). O senador Aécio Neves (PSDB-MG), que em 2014 disputou a Presidência, foi eleito na Câmara com 105 mil votos.


Para o senado, o filho primogênito de Jair Bolsonaro, Flávio Bolsonaro, foi o preferido de 31,36% dos eleitores que escolheram algum candidato no Rio de Janeiro: mais de 4,3 milhões. Já em São Paulo, o oficial da Polícia Militar Major Olímpio ficou em primeiro, com 25,81%: 9 milhões. O PSL ainda fez duas senadoras: Soraya Thronicke, no Mato Grosso do Sul, e a juíza Selma Arruda, no Mato Grosso. Senadores como o Edison Lobão (MDB/MA), Garibaldi Alves (MDB/RN), Eduardo Suplicy (PT-SP) e Eunício Oliveira (MDB/CE) não conseguiram se reeleger.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade