Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Em Brasília, apoiadores se manifestam com gesto que virou marca de Bolsonaro

Segundo a Polícia Militar, o trânsito na região fluía pelas demais faixas da Esplanada que seguem abertas ao tráfego. Não havia registro de incidentes até a publicação desta matéria


postado em 06/10/2018 12:44 / atualizado em 06/10/2018 19:34

Alguns manifestantes simularam estar armados durante a carreata(foto: EVARISTO SA / AFP )
Alguns manifestantes simularam estar armados durante a carreata (foto: EVARISTO SA / AFP )
Uma carreata liderada por eleitores de Jair Bolsonaro, presidenciável do PSL nas eleições deste ano, ocupava parte da Esplanada dos Ministérios no fim da manhã deste sábado, 6, em Brasília. Além de seguidores de Bolsonaro, cabos eleitorais e apoiadores de diversos nomes que disputam o governo do Distrito Federal, como Ibaneis (MDB), Eliana Pedrosa (PROS) e General Paulo Chagas (PRP) participam da manifestação, que foi acompanhada pela Polícia Militar. Vários apoiadores se manifestaram durante a carreata com o gesto que virou marca de campanha de Bolsonaro, simulando uma arma com as mãos.

 

A manifestação foi organizada pelas redes sociais. Os veículos carregam bandeiras do Brasil e dos candidatos que terão os nomes nas urnas neste domingo, 7, inclusive vários que disputam uma cadeira no Congresso Nacional e na Câmara. Na região próxima à Praça dos Três Poderes, vários manifestantes deixaram os veículos e cerca de 500 pessoas se concentraram no local.

(foto: EVARISTO SA / AFP )
(foto: EVARISTO SA / AFP )
Segundo a Polícia Militar, o trânsito na região fluía pelas demais faixas da Esplanada que seguem abertas ao tráfego – quatro delas foram tomadas por manifestantes. Por se tratar de um sábado, o movimento era menor e não houve prejuízo à movimentação na região central de Brasília, informou a PM. Não havia registro de incidentes até a publicação desta matéria.

 

Com informações de Estadão Conteúdo  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade