Publicidade

Estado de Minas DEPOIS DO IMPEACHMENT ...

Anastasia e Dilma trocam ataques em propaganda na TV


postado em 24/09/2018 13:39 / atualizado em 24/09/2018 14:57

Dilma e Anastasia se enfrentaram em agosto de 2016 no processo de impeachment contra a petista(foto: Marcelo Camargo Agência Brasil / Alexandre Guzanshe / EM / D.A. Presss)
Dilma e Anastasia se enfrentaram em agosto de 2016 no processo de impeachment contra a petista (foto: Marcelo Camargo Agência Brasil / Alexandre Guzanshe / EM / D.A. Presss)

O senador Antonio Anastasia, candidato do PSDB ao governo de Minas, se voltou contra a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) ao fazer propaganda para o candidato ao Senado de sua chapa, deputado federal Rodrigo Pacheco (MDB) veiculada nesta segunda-feira (24). No vídeo, o tucano diz que a petista deixou o estado há mais de 40 anos. Dilma também vem criticando Anastasia, relacionando-o ao colega de Senado Aécio Neves (PSDB) nas peças e chamando-o de golpista por causa do impeachment.

Na propaganda de Rodrigo Pacheco, o senador Antonio Anastasia fala de Dilma em conversa com ele.

“Temos aqui uma candidata em Minas ao Senado, uma pessoa que não mora em Minas, que deixou Minas Gerais há mais de 40 anos. Quando pôde ajudar Minas, quando foi presidente da República, nada fez pelo estado lamentavelmente vem de repente, como de paraquedas, quer ser senadora e representar Minas no Senado”, disse Anastasia.  Na semana passada, Anastasia também culpou Dilma pelo desastre financeiro do Brasil, durante agenda no Hospital Sofia Feldman, em Belo Horizonte.

Já em uma de suas propagandas, Dilma mostra vídeo de Aécio ao lado de Anastasia dizendo que o PSDB pretende vencer em Minas Gerais em 2018.

Em outra peça, a petista acusa Aécio e Anastasia de golpe e diz que eles colocaram o presidente Michel Temer (MDB) no poder para defender seus próprios interesses.  “Agora, Anastasia tenta esconder sua imensa responsabilidade nisso tudo, mas não vai conseguir. Vamos derrotá-los”, diz.

Anastasia foi relator do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff no Senado Federal e votou pela perda do mandato da petista, alegando que houve crime de responsabilidade. O texto do tucano foi aprovado pelos senadores, que afastaram a petista do mandato em agosto de 2016.


Publicidade