Publicidade

Estado de Minas

Bolsa-Família é transparente, afirma diretor do Insper

De acordo com Marcos Lisboa, o Bolsa-Família é uma exceção em termos de transparência e prestação de contas para a sociedade


postado em 23/09/2014 12:49 / atualizado em 23/09/2014 13:12

São Paulo - O diretor vice-presidente do Insper, Marcos Lisboa, disse nesta terça-feira, durante "Fórum Estadão Brasil Competitivo - Os caminhos para o Brasil de 2022", que o Bolsa-Família é uma exceção em termos de transparência e prestação de contas para a sociedade. Ele falou durante o evento sobre a eficiência do Estados.

De acordo com ele, no Brasil só se interrompe políticas que fracassam em praças públicas, como o Fome Zero, por exemplo. "Políticas que não funcionam não são interrompidas no Brasil, por isso é um Estado que gasta muito", disse Lisboa.

Marcos Lisboa criticou a política do governo de escolher setores da economia para receber estímulos do Estado. "Ao proteger um setor, o governo desprotege outro setor", afirmou. Ele citou como exemplo a questão dos juros no Brasil. Segundo o economista, fala-se muito que os juros no Brasil são altos, o que na visão dele é discutível porque há no Brasil os que pagam juros altos e que subsidiam os que pagam juros muito baixos.

Para o economista, políticas públicas precisam ter protocolos de intenção e fiscalização de desempenho. "Precisamos adotar práticas do setor privado nas políticas públicas", disse Lisboa, acrescentando que no setor privado projetos e políticas que não dão certos são abortados.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade