Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Reflexão

Um salário mínimo digno para o brasileiro


19/11/2021 04:00

Luciana Archete
Muriaé – MG  

“Fomos surpreendidos com a notícia de que o salário mínimo brasileiro deverá ficar em torno de R$ 1.210, ante uma perspectiva anterior que girava em pouco mais de R$ 1.169. Esperamos que esta proposta se confirme. Fui buscar em estudos e informes acerca de um valor mínimo digno para se viver. Se fôssemos seguir o Dieese, que há anos destaca que para viver bem um trabalhador e sua família, com dois filhos precisaria receber cerca de R$ 5.657,66, ô sonho! No entanto, a média salarial no Brasil é de R$ 2.452, sendo os melhores índices vindos da capital Brasília e das cidades em seu entorno. No entanto, o salário médio não serve de parâmetro para os empregadores, servindo apenas de referência regional e por onde se buscam bons profissionais no mercado. Por essa razão que é possível encontrar em uma cidade uma categoria profissional ganhando bons salários, enquanto em outros municípios é subvalorizada. Bom lembrar que o Distrito Federal é um ponto fora da curva. Lá existem muitos servidores públicos federais e, por conta disso, a busca por concursos públicos e melhores salários sobressai. Fora disso, temos apenas as grandes capitais, como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Curitiba, com índices favoráveis aos trabalhadores com ensino médio e cursos técnicos profissionalizantes. Dados de 2019 pesquisados para sanear essas dúvidas que me vieram à mente aparecem como sendo em média no Norte (R$ 1.711); Nordeste (R$ 1.539); Sudeste (R$ 2.585); Sul (R$ 2.499) e o Centro-Oeste (R$ 2.498). Esperamos que, com o chegar de um novo ano, auspícios de ventos melhores para os empresários e, consequentemente, os trabalhadores, boas-novas nos cheguem. Afinal, pagar combustível caro, alimentos às tampas e ver mais dias no curto salário, trabalhador nenhum merece.”

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade