Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas INDIGNAÇÃO

População é enganada antes das eleições


09/12/2020 04:00

Jeovah Ferreira
Taquari – DF

"Queria acordar todo dia de eleição sabendo que ao me levantar teria que preparar-me para dirigir-me à minha zona eleitoral com o objetivo de cumprir com o meu dever de votar. Em 2018, fui com um entusiasmo desmedido digitar o número dos candidatos que eu apostava que, caso fossem eleitos, iriam trabalhar em prol do Brasil. Após as eleições, vieram os resultados. Comemorei, não perdi o meu voto. Gritei: eu soube escolher. Ledo engano, mais uma vez caí no conto do vigário. O meu voto  não serviu para ajudar o Brasil. Os candidatos em quem depositei tanta esperança tinham apenas discursos bonitos. Muitas promessas. Lágrimas de crocodilo. Eles foram eleitos para defender os interesses deles. O povo, coitado do povo. É inacreditável ver que desde 1º de janeiro de 2019, dia em que começou o mandato dos escolhidos, o assunto principal são as eleições de 2022. Pouca vergonha. Desse jeito não há país que vá pra frente. Eu queria que todos nós eleitores, no próximo pleito, não caíssemos na besteira de reeleger quem prometeu mudanças, mas que mudou, acabando com o que de bom havia, deixando espaço para prosperar tudo o que não presta. Eu queria que amanhã fosse outubro de 2022.  Eu queria que  todos os eleitores que foram enganados fossem votar com o coração cheio de indignação por ter sido passados para trás. Eu queria que fosse amanhã o dia do "bota-fora" desses populistas que prometeram que seriam diferentes de todos os políticos que, no poder, pensaram somente neles e jogaram migalhas para o povo. Ah, eu queria que fosse amanhã outubro de 2022. Eu queria que alguém me desse santinhos dos candidatos que ganharam o meu voto em 2018. Eu rasgaria todos com muita fúria."

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade