Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas BUROCRACIA

Mau atendimento no serviço público


postado em 19/01/2020 04:00

Adelto Gonçalves
Praia Grande – SP


"Escrevo esta carta para reclamar do mau atendimento dos Correios/Receita Federal, que vêm contribuindo sobremaneira para disseminar a ignorância em nosso país. Quero lembrar que, no segundo semestre de 2018, o jornalista brasileiro Jair Rattner me enviou de Lisboa, pelo correio, um exemplar de seu livro Verdades pobres de Tomás Pinto Brandão – edição crítica e estudo, trabalho de mestrado em letras pela Universidade Nova de Lisboa, para que eu fizesse uma resenha. Mas a Receita Federal entendeu que eu teria de pagar imposto de importação pelo livro. Recusei-me a fazê-lo, e o exemplar foi devolvido ao autor. Por acaso, na mesma época, estive em Lisboa e o autor me deu o exemplar pessoalmente. Quero ressaltar que, quando envio livros para amigos que moram no exterior, todos recebem os exemplares sem problemas e sem custos. Desta vez, o historiador holandês Ernst Pijning, professor da Universidade de Minot (EUA), meu ex-colega de pesquisas, enviou-me pelo correio um pen drive com a reprodução de documentos manuscritos do século XVIII que fazem parte do acervo do Arquivo Histórico Ultramarino (AHU), de Lisboa. Queria com isso me auxiliar na produção de mais um livro de história sobre o Brasil colonial. Mas a Receita Federal quer me cobrar R$ 164,41 de imposto de importação. Fiz, com muito custo, pelo site, em 23/12/2019, uma reclamação, mas não obtive resposta até agora. O site dos Correios parece-me que está defasado tecnologicamente, pois são muitas as dificuldades que apresenta a quem recorre a ele. Além disso, só se pode tentar resolver o problema pela via virtual, pois as agências dos Correios não estão habilitadas a ajudar o destinatário. Para piorar, pelo sistema 0800 não se consegue falar com ninguém, mas apenas ouvir mensagens gravadas que indicam o possível caminho. São tantas as dificuldades que desisti de argumentar, na tentativa de obter uma revisão ou isenção de tributos."


Publicidade