UAI
Publicidade

Estado de Minas artigo

Competências para o século 21

Trabalhadores criativos são mais jovens, informais e ganham mais comparados ao resto da população


25/01/2022 04:00







Cristiano Araújo
Capitão-PM, diretor do Departamento Jovem da 
Associação dos Oficiais da Polícia Militar e 
do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais

A era mobile se consagrou no mundo atual. A troca de informações em tempo real é uma realidade nas relações sociais. Processos profissionais foram provocados a atualizar suas linguagens, seus instrumentos e formas de transmissão de informações. A sociedade se viu inserida em intenso processo de transformação e a inovação se consolidou como uma fortaleza para indivíduos e organizações. Neste cenário, quais seriam as principais características inerentes ao jovem profissional quando o assunto é mercado de trabalho?

Multifuncional, essa é a competência que faz com que o talento gerencial possa atuar em funções diferentes. As vivências e experiências distintas aliadas às habilidades técnicas variadas tornam o colaborador indispensável à empresa. Entre os benefícios dessa habilidade estão a maior independência na execução de tarefas, maior inovação nos processos, facilidade de adaptação e mais engajamento não só de um, mas de todos da equipe.

Também é fundamental que o profissional tenha inteligência emocional, isto é, a capacidade do ser humano em lidar com as emoções. Ao conseguir gerenciar as próprias emoções e sentimentos até mesmo de terceiros, o indivíduo é capaz de lidar com a pressão inerente a qualquer trabalho, bem como possíveis conflitos interpessoais.

A inteligência pode ser dividida em habilidades como o autoconhecimento (quando consegue analisar pontos fortes e fracos e lidar com as críticas como construtivas), a empatia (reconhece e respeita as emoções alheias, colocando-se no lugar do outro frequentemente), o controle emocional (adequa os sentimentos às situações e controla suas emoções), a automotivação (característica de quem estabelece suas próprias metas de crescimento e desenvolve motivação para alcançá-las) e relacionamentos interpessoais (construção e manutenção de relações saudáveis e efetivas).

Outra habilidade fundamental ao jovem do século 21 é a criatividade. Apenas para ilustração, dados do Atlas Econômico da Cultura apontam que os trabalhadores criativos são mais jovens, informais e ganham mais comparados ao resto da população. É preciso pensar além, fora da caixa, não basta seguir regras, também deve-se inovar, propor e descobrir soluções. Como estimular essa capacidade? Simples! Pense no trabalho como uma ferramenta de novas possibilidades, não tenha receio de sugerir, crie relacionamentos positivos e seja proativo.

Já a flexibilidade incide como um ponto de destaque para o jovem profissional do século 21. Isto é, aquele com a habilidade de se adaptar às frequentes mudanças nas organizações. Aos líderes, é visto como um coringa, peça-chave por ser um profissional maleável e dedicado. Para si, contribui para lidar melhor com as frustrações e os desafios que a vida impõe.

Assim, entre as competências fundamentais, sejam elas técnicas ou pessoais, podemos destacar boa comunicação, liderança, proatividade, resolução de conflitos e desafios, empatia, iniciativa, estar disposto a aprendizados contínuos, flexibilidade para lidar com transformações e mudanças e, em tempos de isolamento social, capacidade para trabalhar no ambiente virtual. O mundo está em constante transformação, assim como o mercado de trabalho. Entender e buscar se adaptar a essa dinâmica é uma maneira de ser mais feliz em outras áreas da vida também. É transformar não só a realidade, como também o futuro.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade