UAI

Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

A importância do Outubro Rosa nas empresas


09/10/2021 04:00

Coronel PM Ailton Cirilo
Presidente da Associação dos Oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (AOPMBM) e vice-presidente da Comissão de Segurança Pública da OAB/MG
 
Talvez uma das vinculações mais comuns, a cor rosa e o mês de outubro são mundialmente conhecidos e difundidos, já que o Outubro Rosa alerta a sociedade para a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama. As campanhas de saúde, em especial as sazonais, têm sido fundamentais para mobilizar entidades públicas e privadas a conscientizarem a população acerca da importância da prevenção e do cuidado relacionado a doenças que acometem uma boa parcela da sociedade.
 
Compromissada com a causa, a Associação dos Oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais (AOPMBM) apoia o Outubro Rosa, buscando conscientizar seu público sobre a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama e, mais recentemente incluso na campanha, o câncer de colo de útero.
 
A importância em difundir o tema é alicerçada pelos dados: de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de mama é o mais frequente em mulheres em todas as regiões, sendo que a doença também lidera o número de mortes por câncer entre as mulheres no país. Em 2019, por exemplo, a taxa de mortalidade mundial foi de 14,2 óbitos a cada 100 mil mulheres.
 
Nas empresas o Outubro Rosa pode ser aplicado de diversas formas, como a utilização da cor aderente em espaços estratégicos mostrando aos colaboradores que a empresa “veste” a campanha pela cor. Outra ação seria a promoção de discussões e debates sobre o câncer de mama e o câncer de colo de útero. Para tanto, pode-se contar com uma palestra ilustrativa de especialistas que expliquem o tema e incentivem a prevenção, abordando a importância do autoexame.
 
Inclusive, o autoexame é simples e deve ser feito ao menos uma vez por mês, principalmente com data fixa, de modo a conhecer melhor a mama e conseguir identificar mudanças repentinas de caroços ou texturas. Apesar de não substituir a visita ao ginecologista anualmente, com o auto-teste é possível descobrir potenciais anomalias, podendo ser realizado em casa ou no banheiro da própria empresa.
 
Se a mulher sentir qualquer alteração no seio, deve ser acompanhada a um médico. A empresa pode ser empática e criar um relacionamento próximo, de cuidado e atenção àquelas que estiverem passando por esse momento. Também é possível engajar a empresa à causa por meio do compartilhamento de casos de superação, mostrando a realidade e a experiência de quem já esteve de frente com a doença.
 
Além disso, os líderes precisam ter em mente que a empresa, como um todo, deve estar engajada com a inclusão, a empatia, o respeito e o altruísmo. A participação coletiva deve ser geral, até porque o câncer de mama não é restrito às mulheres. Homens podem tê-lo, sendo ainda mais agressivo pela pouca quantidade de tecido mamário.
 
O pertencimento às ações pode ser conquistado a partir do auxílio dos próprios colaboradores no projeto de conscientização. O importante é o empreendimento prezar pela responsabilidade social com seus colaboradores, indo além da atividade profissional, pois pensa-se na saúde dos funcionários. É o que nós, da Associação dos Oficiais, temos como princípio: AOPMBM presente, cuidando de sua gente. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade