Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Por que é tão importante manter as vacinas em dia


13/06/2021 04:00

Rodrigo Felipe
Presidente do Grupo First e idealizador da operadora de planos de saúde You Saúde

A pandemia do novo coronavírus mantém o mundo inteiro em alerta. A maioria das pessoas utiliza as máscaras com consciência e muitas tentam evitar aglomerações. No Brasil, mais de 23,6 milhões de pessoas foram vacinadas com duas doses. Isso equivale a pouco mais de 11% da população total.

Mas o foco sobre a COVID-19 tem feito muita gente deixar de lado a preocupação com outras enfermidades. O isolamento social vem afastando a população de diversos locais públicos, incluindo os postos de saúde. Autoridades sanitárias temem que, em um médio prazo, ocorra um surto de outras doenças devido à baixa imunidade.

Essa preocupação vem ao encontro de uma data cuja celebração é providencial em tempos de pandemia: em 9 de junho, foi celebrado o Dia da Imunização, com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre a necessidade de manter as vacinações em dia. Não só a do coronavírus, que ainda não alcançou todas as faixas etárias, mas também a do sarampo, tétano, gripe, entre várias outras.

A falta de imunização a doenças paralelas pode provocar estragos ainda maiores na saúde. A COVID-19 provocou um colapso nos hospitais e postos de saúde. Muitos desses lugares têm até filas de pessoas em busca de atendimento. E a exposição a outras doenças faz com que estejamos andando numa corda bamba. Bastaria um pequeno surto de outra doença, mesmo que imunizável, para abalar por completo o sistema de saúde.

É importante ressaltar que é imprescindível que as pessoas busquem o máximo de proteção através das vacinações já disponíveis. Somente assim evitarão a exposição a doenças que podem levar a uma fatalidade diante de um maior período de espera por atendimento médico. Os locais de saúde estão trabalhando em um ritmo muito mais frenético do que o normal devido a uma única patologia. Imagine, então, se acrescentarmos neste cenário a proliferação de outras doenças contagiosas. A vacinação é mais do que nunca fundamental para equilibrarmos esse jogo e garantir que a onda de casos se restrinja apenas ao coronavírus.

O calendário de vacinação do Ministério da Saúde continua em funcionamento. No momento, está em vigor a campanha nacional de vacinação contra a gripe, que vai até 9 de julho. A expectativa é que 80 milhões de brasileiros sejam vacinados.

Quem já tomou a vacina contra a COVID-19 deve respeitar o intervalo de 14 dias para receber o imunizante contra a gripe. Quem ainda não se vacinou para nenhuma das duas, a recomendação é que priorize o atendimento ao coronavírus. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade