Publicidade

Estado de Minas

Sairemos desta pra melhor?

Acredito que a humanidade tem nesta pandemia global uma oportunidade ímpar de evoluir enquanto estrutura social


21/04/2021 04:00





Agnaldo Santos – Arjun
Educador, terapeuta especializado em filosofia
oriental e medicina tradicional indiana

Percebo que existe um chamado subliminar nesta experiência coletiva em que todos fomos lançados à força em todo o planeta. Inédita em seu alcance geográfico, mas também porque revolve a vida de bilhões de pessoas tanto na esfera pública quanto nas questões mais íntimas.

Enquanto testemunhamos transformações diárias no cotidiano das cidades, empresas, escolas, do comércio, nosso campo íntimo está exposto a torrentes de revoluções culturais, ideológicas e espirituais em proporções também antes não vividas.

O verbete empatia ganhou profundidade porque compreender seu significado essencial agora ficou urgentemente prático. Afinal, no meio desse turbilhão de novas informações e de tensão permanente, são incalculáveis as situações de insegurança coletiva geradas pelo imenso desafio de viver um dia cada vez para que consigamos ir adiante.

Sim, eu acredito que a humanidade tem nesta pandemia global uma oportunidade ímpar de evoluir enquanto estrutura social, prospectando novos e saudáveis rumos. Acredito ser vital refletirmos sobre os impactos e futuras sequelas dos dias de hoje.

Como você está lidando com essa oportunidade de salto para um degrau superior de compreensão e de consciência? Por mais que esteja seguindo firme, com uma altiva resiliência, certamente está sendo afetado, assim como todos, pela frequência de atividade mental gerada pelo medo e desalento em níveis alterados.

Seria um grave lapso restringirmos todo esse amplo cenário que nos acomete a tão simplesmente uma questão de ordem administrativa dos governantes. O posicionamento de apenas aguardar que tudo se resolva para retomar o rumo normal e corriqueiro é pura analgesia diante do claro clamor de que precisamos ajustar nosso olhar sobre o outro e sobre o coletivo.

Nossas escolhas hoje gerarão resultados por intenção consciente ou por permissão negligente.

Nós podemos e devemos aproveitar as oportunidades que cada experiência tem nos trazido. Opto pelo exemplo do recurso da meditação, tão antiga quanto o homem, para propor um caminho de regresso ao centro emocional e racional neste momento tão dinâmico.

O efeito em cadeia causado por mais e mais pessoas meditando ao mesmo tempo é um estímulo potente a mudanças de padrões de vida. A cada novo dia despertam, em uma determinada zona do planeta, milhões de mentes ponderando sobre o contexto e a realidade presentes. Isso é meditar.

Graças à interconectividade global, os profundos efeitos meditativos poderão ser ainda mais perceptíveis e viabilizar caminhos para sanar antigas patologias, como as severas desigualdades nas condições de vida entre nós. A realidade da meditação é justamente direcionar o fluxo e a atenção plena para contextos que se almejam.

Na falta de respostas definitivas sobre o dia de amanhã, temos uma rica oportunidade para uma verdadeira varredura sobre quem somos e o que desejamos. Esse questionamento antropológico se reforça nesta pandemia, que pode resultar em uma melhor versão de nós mesmos.

Por isso, viva o presente da melhor forma, cuide-se e medite sempre. Por todos nós.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade