Continue lendo os seus conteúdos favoritos.
Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Endometriose: importância da atenção primária

As mudanças ocorridas na vida da mulher têm favorecido o aumento da endometriose


postado em 11/09/2019 04:00


 




Walter Pace
Professor, doutor e coordenador-geral da pós-graduação de cirurgia ginecológica da                        Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais


Na nossa experiência, existe uma grande preocupação das mulheres, predominantemente na faixa de 18 a 40 anos, com a endometriose, doença que pode interferir no período reprodutivo, principalmente nessa idade. A endometriose é uma doença crônica provocada pela migração do tecido que reveste a cavidade uterina, o endométrio, para outras partes do corpo, principalmente para o abdome, além de ovário, ligamentos uterinos, bexiga e intestino. Fica claro, assim, a importância da atenção primária, que é uma forma de intervenção precoce na história natural da doença, potencializando, se necessário essa intervenção ou mesmo, se for o caso, evitando sua necessidade. Nesse sentido, o ginecologista deverá fornecer uma boa orientação para cada paciente.

Ressaltamos que as mudanças ocorridas na vida da mulher têm favorecido o aumento da endometriose. Entre elas, podemos citar, como exemplo, o aumento da incidência da menstruação: a mulher está menstruando mais vezes, pois o início da menstruação tem sido mais precoce e as gravidez mais tardias, com menor número de filho. Também podemos considerar os fatores ambientais, como a combustão de poluentes que acumulam toxinas (dioxina) nos tecidos gordurosos da mulher, e, ainda, as tendências genéticas de parentes de primeiro grau, que também devem observadas.

Temos de estar atentos aos sintomas da endometriose, que podem surgir ainda na adolescência, sendo diagnosticados como dor pélvica e cólica menstrual. Outros sintomas são queixas de cólicas menstruais progressivas e/ou incapacitantes, dor profunda na relação sexual e dor pélvica fora do período menstrual, bem como queixas de diarreia e/ou constipação intestinal e/ou modificação da consistência das fezes no período pré-menstrual e na menstruação, e dor ou sangramento ao evacuar ou urinar na menstruação.

É importante salientar que a endometriose é uma das principais causas de infertilidade na mulher. A instalação da doença nos ovários pode provocar o aparecimento de um cisto denominado endometrioma. Este cisto pode atingir grandes proporções e comprometer o futuro reprodutivo da mulher. O diagnóstico e tratamento precoce são importantes para prevenir a infertilidade.

Salientamos que o diagnóstico clínico-ginecológico da endometriose é suficiente, permitindo iniciar o tratamento e manter o acompanhamento da mulher a fim de avaliar a resposta terapêutica. A endometriose pode regredir espontaneamente com a menopausa, em razão da queda da produção dos hormônios femininos e fim das menstruações.



Publicidade