Publicidade

Estado de Minas CEILÂNDIA

Homem preso em flagrante por estupro em UPA é portador de hepatite

Ele teria se aproveitado de uma paciente, de 28 anos, que estava medicada e, assim como ele, internada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Ceilândia


postado em 30/06/2020 17:15 / atualizado em 30/06/2020 17:26

Crime ocorreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Ceilândia(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Crime ocorreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Ceilândia (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Portador de Hepatite C, o homem de 57 anos preso em flagrante, nessa segunda-feira (29/6), acusado de estupro de vulnerável em Ceilândia, também, foi autuado por expor a vida e a saúde da vítima. Como revelado pelo Correio, ele teria se aproveitado de uma paciente, de 28 anos, que estava medicada e, assim como ele, internada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da região. 

Na madrugada da segunda, enquanto Vanessa* estava deitada em uma maca em um dos corredores da UPA, um paciente veio na direção da jovem, fez xixi na lixeira que estava próxima da maca e, depois, com o orgão genital exposto, começou a passar as mãos nos seios da jovem até chegar ao ponto de beijá-la. Desesperada, a vítima conseguiu gritar e pedir ajuda aos profissionais da unidade. 

Conforme consta na ocorrência registrada na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher 2 (Deam 2), que investiga o caso, Vanessa estava internada e acamada, sem condições de oferecer qualquer tipo de resistência. “O fato foi presenciado por outro paciente da UPA. Uma equipe da Polícia Militar foi acionada pela UPA, que conduziu o suspeito à Deam 2, onde ele foi autuado em flagrante delito pelos crimes de estupro de vulnerável e pela exposição de perigo a vida ou a saúde de outrem, haja vista ser o suspeito portador de Hepatite C, e com sua conduta também expôs a vítima a perigo de contágio da referida doença”.

Por meio da assessoria de imprensa, o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF), responsável pela administração da UPA, informou que tomou ciência do episódio, que ocorreu por volta das 5h, e tomou as medidas necessárias. "Cabe ressaltar que em momento algum a paciente ficou sozinha ou desassistida e recebeu todo o suporte da equipe que atuava no momento. Mais informações sobre o caso devem ser obtidas na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher 2, onde o caso foi registrado". 

*Nome fictício para preservar a identidade da vítima

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade