UAI
Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Movimento de Sebastião Salgado recebe apoio da Unesco

Ação pretende evitar o 'genocídio anunciado', devido aos efeitos da pandemia do novo coronavírus nas aldeias indígenas da Amazônia


postado em 12/05/2020 16:57 / atualizado em 12/05/2020 17:22

Movimento organizado por Sebastião Salgado recebe apoio da Unesco(foto: Além do Fato/ Sebastião Salgado)
Movimento organizado por Sebastião Salgado recebe apoio da Unesco (foto: Além do Fato/ Sebastião Salgado)
O movimento em apoio à população indígena que vive na Amazônia, liderado pelo fotógrafo mineiro Sebastião Salgado, ganhou o suporte da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Nessa segunda-feira (11), o titular da cátedra da Unesco de Filosofia da Cultura e das Instituições, Jaques Poulain, assinou a carta endereçada aos cidadãos da sociedade civil mundial, que convoca à população a se mobilizar para que não ocorra o que chamou de “genocídio anunciado”, devido aos efeitos da pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2) nas aldeias indígenas.

A ação organizada por Salgado teve início na semana passada e diversas celebridades aderiram ao manifesto lançado por ele e sua esposa, Lélia Wanick Salgado, sobre a situação de risco de contaminação pela COVID-19 a que os povos indígenas estão expostos. Luciano Huck, Gisele Bündchen, Paul McCartney, Madona, Brad PittChico Buarque, Gilberto Gil e Caetano Veloso foram alguns dos artistas que compartilharam mensagens sobre o assunto em suas redes sociais.
  

O fotógrafo lançou uma petição no portal Avaaz.com com o objetivo de reunir 300 mil assinaturas para pressionar o poder público para que, assim, haja à proteção das comunidades indígenas contra o vírus. A ação já tinha mais de 230 mil assinaturas recolhidas na tarde desta terça-feira (para assinar, acesse aqui). 

“Diante da urgência e da seriedade dessa crise, com amigos do Brasil e admiradores de seu espírito, cultura, beleza, democracia e biodiversidade, apelamos ao presidente da República, Sua Excelência Sr. Jair Bolsonaro, e aos líderes do Congresso e do Judiciário a adotarem medidas imediatas para proteger as populações indígenas do país contra esse vírus devastador”, destacou a carta.
 
Tanto na carta quanto em um vídeo divulgado no Instagram, o fotógrafo relaciona os riscos à saúde dos indígenas com a atuação ilegal de desmatamento e queimadas na Amazônia
 
“Os indígenas brasileiros têm sido vítimas de epidemias há mais de 500 anos, mas agora se junta a essa ameaça o relaxamento da vigilância no estado. A invasão de garimpeiros, madeireiros e fazendeiros ilegais e os incêndios criminosos que aumentaram nas últimas semanas”, afirmou.

De acordo com a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), a pandemia do coronavírus avança sobre os povos indígenas e causa muitos óbitos devido à falta de assistência e atendimento do governo. Segundo os dados levantados pela instituição, até esta terça-feira (12), foram 127 casos de infecção pela doença e 62 mortes na região amazônica, 46 óbitos a mais do que contabiliza a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai).

*Estagiário sob supervisão da editora Liliane Corrêa
 

O que é o coronavírus?

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.

Como a COVID-19 é transmitida?

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:
Febre
Tosse
Falta de ar e dificuldade para respirar
Problemas gástricos
Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:
Pneumonia
Síndrome respiratória aguda severa
Insuficiência renal

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o coronavírus é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

Coronavírus é pandemia. Entenda a origem desta palavra
Os boatos sobre o coronavírus: fique por dentro do que é verdade e mentira
Tudo sobre o coronavírus - Covid-19: da origem à chegada ao Brasil
Coronavírus: qual é a diferença entre isolamento e quarentena?    


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade