Publicidade

Estado de Minas CHECAMOS

Antes que PM fosse abatido na Bahia foram realizadas 3h30 de negociações

Publicações compartilhadas em redes sociais afirmam que policial foi abatido a tiros sem que houvesse tentativa de convencê-lo a se entregar


29/03/2021 20:23 - atualizado 30/03/2021 09:01

Publicações que afirmam que a ação na qual um policial militar foi morto em Salvador, após atirar para o alto e contra policiais, não contou com negociações, foram compartilhadas mais de 13 mil vezes nas redes sociais em menos de 24 horas.

Mas isso não procede: de acordo com informações oficiais, as negociações com o PM duraram mais de três horas, esgotadas quando ele atirou na direção de agentes de segurança, que o abateram.

“Sobre o PM que ‘surtou’ na Bahia hj. Não, ele não surtou, ele se negou a prender trabalhador, tomou voz de prisão, não obedeceu. Pegou sua arma e fez disparos para cima. [...] Quando é um bandido, negociam horas e horas e horas, quando é um irmão de farda, simplesmente MATAM. [...], indicam os textos compartilhados milhares de vezes no Facebook (1, 2, 3) e no Twitter (1, 2).

Captura de tela feita em 29 de março de 2021 de uma publicação no Facebook
Captura de tela feita em 29 de março de 2021 de uma publicação no Facebook
 
Na tarde do último dia 28 de março, a imprensa (1, 2, 3) relatou que um policial militar com o rosto pintado de verde e amarelo estava na região do Farol da Barra, em Salvador, atirando para o alto. Ele carregava um fuzil e uma pistola.

A condição psicológica do policial foi informada no site da Secretaria de Segurança Pública (SSP) da Bahia. Segundo as informações, os agentes gerenciavam “o surto psicológico de um soldado da PM”, que “efetuou disparos com arma de fogo para cima”. Indicaram, ainda, que o Batalhão de Operações Policiais Especiais havia sido acionado.

Mais tarde, a SSP-BA informou que, “após 3h30 de negociação, um soldado da Polícia Militar, aparentando surto psicótico, disparou com fuzil contra guarnições do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e terminou neutralizado” e que a ação se iniciou às 14h.

O órgão também indicou que a equipe do Bope deu início à negociação às 15h e que, às 18h35, o homem afirmou que “havia chegado o momento”, fazendo uma contagem regressiva e disparando contra os agentes.

Uma busca usando a ferramenta TweetDeck e selecionando apenas os tuítes feitos a partir de Salvador levou a uma publicação feita às 14h43 mencionando que um policial militar estava em frente ao Farol da Barra disparando tiros.

Um segundo tuíte, postado às 18h56, indica que um morador do local registrou o momento em que o PM foi baleado.

A emissora local TV Aratu também filmou o momento, mas de outro ângulo, mostrando a troca de tiros entre os agentes de segurança e o policial militar.

Pelas imagens, é possível perceber que a ação teve início quando o dia ainda estava claro e terminou à noite, corroborando as informações passadas pelos órgãos oficiais do estado.

Na manhã deste dia 29 de março, a SSP-BA afirmou, em entrevista coletiva, que o PM foi “encaminhado para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde acabou morrendo no final da noite”

Sobre o policial militar, o comandante-geral da PM da Bahia, coronel Paulo Coutinho, indicou que ele “não apresentava problemas de comportamento” e que nunca havia dado sinais de distúrbios. Segundo informou, uma irmã do agente chegou a ser levada para tentar negociar.

Após a morte do PM, foram registrados protestos (1, 2) de policiais na região do Farol da Barra. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade