Publicidade

Estado de Minas FACT-CHECKING

Checamos: vídeo de drone lançando objeto foi gravado dias antes de explosões em Beirute

Imagens já foram compartilhadas centenas de vezes em redes sociais, mas já circulam desde 30 de julho; entenda


05/08/2020 10:48 - atualizado 06/08/2020 08:02

Captura de tela feita em 5 de agosto de 2020 de vídeo publicado no Facebook
Captura de tela feita em 5 de agosto de 2020 de vídeo publicado no Facebook
Um vídeo em que um drone parece lançar um objeto foi compartilhado centenas de vezes em redes sociais como se mostrasse a causa das enormes explosões na capital libanesa no último dia 4 de agosto.

No entanto, as imagens circulam desde 30 de julho, dias antes da tragédia. De acordo com o governo libanês, as explosões foram provocadas por 2.750 toneladas de nitrato de amônio que estavam armazenadas no porto de Beirute.

“Drone que acionou a bomba em Beirute”, diz uma publicação compartilhada mais de 600 vezes no Facebook em menos de 24 horas. A legenda acompanha uma gravação na qual dois drones são vistos sobrevoando uma área, sobre a qual um deles parece lançar um objeto.

Alegação semelhante aparece em diversas outras postagens no Facebook (1, 2, 3) e Twitter (1, 2, 3), assim como em publicações em espanhol e árabe. “Drones israelenses são filmados em Beirute Líbano antes da explosão”, escreveu outro usuário ao publicar as imagens.

O vídeo começou a circular na noite de 4 de agosto, horas após duas grandes explosões ocorrerem no porto de Beirute, deixando mais de 100 mortos, 4 mil feridos e devastando bairros inteiros.

Os tremores provocados pelas explosões foram tão intensos que os sensores do Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês) os registraram como um terremoto de 3,3 graus.

As imagens não mostram, contudo, a causa das explosões na capital libanesa.

Vídeo anterior à tragédia


O mesmo vídeo foi publicado no último dia 30 de julho - quatro dias antes, portanto, das explosões - por diversos veículos de notícia libaneses (1, 2, 3). De acordo com as reportagens, as imagens mostram “drones inimigos” sobrevoando a cidade de Hula, no sul do Líbano.



No mesmo dia, a agência nacional de notícias do Líbano informou que dois drones israelenses haviam sido detectados voando em baixa altitude sobre Hula, especificamente sobre uma área que havia sofrido um incêndio.

Segundo a agência libanesa, “os dois drones jogaram uma garrafa de vidro e uma pequena sacola dentro do território libanês na área mencionada, em frente à Força Interina das Nações Unidas no Líbano [UNIFIL, na sigla em inglês] presente no local”.

Hula fica a mais de 100 quilômetros de distância de Beirute.

De acordo com autoridades do Líbano, não há, até o momento, indícios de que as explosões desta terça-feira tenham sido desencadeadas deliberadamente.

Como explicou o primeiro-ministro libanês, Hassan Diab, a causa mais provável da tragédia seria o armazenamento de cerca de 2.750 toneladas de nitrato de amônio em um depósito no porto de Beirute.

Em resumo, é falso que o vídeo compartilhado nas redes mostre drones provocando as explosões que atingiram Beirute em 4 de agosto. A gravação circula desde 30 de julho e, segundo a agência de notícia libanesa, mostra drones sobrevoando a cidade de Hula, localizada a mais de 100 quilômetros da capital do Líbano.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade