UAI
Publicidade

Estado de Minas A BORDO DE AVIÓN DEL PAPA

Papa Francisco parte para o Canadá em 'peregrinação penitencial'


24/07/2022 10:05

O Papa Francisco partiu para o Canadá neste domingo (24)para uma visita de seis dias durante a qual se espera que ele peça desculpas aos sobreviventes indígenas de abusos em escolas residenciais administradas pela Igreja Católica.

O avião do Papa decolou de Roma pouco depois das 09h00 hora local (04h00 no horário de Brasília). Em uma cadeira de rodas, o pontífice argentino de 85 anos, que sofre com o joelho direito, teve que usar uma plataforma elevatória para embarcar, segundo um jornalista da AFP que o acompanha.

A "peregrinação penitencial", como o pontífice a descreveu, é vista como um passo importante para enfrentar o escândalo global de abuso sexual infantil por parte do clero e décadas de encobrimento.

Antes de sua partida, o papa enviou uma mensagem no Twitter em inglês e francês para seus "queridos irmãos e irmãs no Canadá".

"Venho entre vocês para me encontrar com os povos indígenas. Espero que, com a graça de Deus, minha peregrinação penitencial possa contribuir para o caminho de reconciliação já iniciado. Por favor, acompanhe-me com a oração", escreveu.

Francisco começará sua 37ª viagem internacional desde que se tornou pontífice em Edmonton, na província ocidental de Alberta, antes de seguir para a cidade de Quebec e depois para Iqaluit, cidade mais ao norte do país.

O pontífice pretende reiterar as desculpas feitas às delegações canadenses que visitaram o Vaticano em abril. É importante para as comunidades indígenas que o pedido de perdão seja feito em solo canadense, pois a terra de seus ancestrais é de particular importância para eles.

A descoberta, desde o ano passado, de centenas de restos mortais de crianças indígenas em sepulturas sem identificação no local das escolas públicas administradas pela Igreja Católica forçou o Canadá a enfrentar sua política fracassada de assimilação forçada.

Da mesma forma, destacou o papel da igreja no que uma comissão nacional de verdade e reconciliação chamou de "genocídio cultural".

Cerca de 150.000 crianças das Primeiras Nações, Metis e Inuit foram matriculadas desde o final do século XIX até a década de 1990 em 139 escolas residenciais, onde passaram meses ou anos isoladas de suas famílias, idioma e cultura. Muitos deles foram abusados física e sexualmente por diretores e professores. Acredita-se que milhares morreram de doenças, desnutrição ou negligência.

Em maio de 2021, mais de 1.300 sepulturas não marcadas foram descobertas nos locais das antigas escolas.

Francisco começa sua peregrinação na segunda-feira com uma parada na cidade de Maskwacis, cerca de 100 quilômetros ao sul de Edmonton, que abriga uma das maiores escolas residenciais do Canadá.

Uma multidão esperada de cerca de 15.000 pessoas, incluindo ex-alunos de todo o país, assistirá ao seu discurso.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade