UAI
Publicidade

Estado de Minas NOVA YORK

Resultados do Twitter decepcionam no segundo trimestre


22/07/2022 18:47

O Twitter registrou, no segundo trimestre, resultados bem abaixo das expectativas, uma decepção que atribuiu a "ventos contrários" - em particular, à incerteza em torno de sua possível aquisição por Elon Musk.

O grupo, que processou Musk para forçá-lo a cumprir seu compromisso de compra em um julgamento que terá início em outubro, viu seu volume de negócios cair em um ano (-1%) a US$ 1,1 bilhão, com uma queda líquida de US$ 270 milhões no segundo semestre, de acordo com um comunicado de imprensa divulgado nesta sexta-feira (22).

Por ação, a perda é quase o triplo do que a esperada pelos analistas.

Esta queda é atribuída a "ventos contrários" no setor publicitário, medos que pesam sobre a conjuntura econômica, mas também à "incerteza relacionada com a aquisição em curso do Twitter" por Elon Musk.

"O Twitter está num barquinho no meio da tempestade", comentou Jasmine Enberg, analista da Insider Intelligence.

O número de usuários ativos diários chamados de "monetizáveis", ou seja, que podem estar expostos à publicidade na plataforma, aumentou em 8,8 milhões - para alcançar 237,8 milhões.

"É melhor do que esperávamos e os números são relativamente sólidos, se considerado o contexto atual", disse em nota Dan Ives, da Wedbush Securities.

Mas, em um ambiente de aperto nas condições de crédito e de desaceleração econômica progressiva, as empresas, cujo modelo de negócio é totalmente baseado em publicidade, sofrem com a redução dos orçamentos publicitários.

Na quinta-feira (21), por exemplo, a Snap - matriz do Snapchat - registrou uma perda maior do que o esperado, e um volume de negócios, abaixo, o que lhe valeu uma perda de mais de 39% nesta sexta-feira em Wall Street.

As ações do Twitter subiram 0,81% para 39,84 dólares no fechamento desta sexta-feira, num mercado que preferiu valorizar o aumento do número de usuários ativos da rede social.

- A saga Twitter-Musk -

Após a desistência de Musk da compra do Twitter no início de julho, a plataforma optou pela via judicial, onde os executivos da rede pretendem forçar o magnata a adquirir o Twitter como havia anunciado.

Na terça-feira, uma juíza de um tribunal especializado em Delaware (nordeste dos Estados Unidos) ordenou um julgamento curto por cinco dias em outubro.

A magistrada concordou com o pedido do Twitter de um procedimento acelerado para limitar os prejuízos dessa saga sobre o grupo. Rejeitou, no entanto, os argumentos dos advogados de Musk, que desejavam que as audiências começassem apenas em 2023.

Musk acusou os executivos do Twitter de mentirem sobre a proporção de contas automatizadas e de "spams" na plataforma e de não fornecerem para ele informações suficientes para verificar seus dados.

O grupo contestou essas alegações e acusou Musk de usá-las para criar uma distração no mercado.

Muitos investidores veem o Twitter em uma posição melhor para o processo e o preço de suas ações se recuperou.

Twitter


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade