UAI
Publicidade

Estado de Minas HAIA

Procurador do TPI pede que Rússia coopere em investigação sobre Ucrânia


27/05/2022 17:35

A Rússia deve cooperar com a investigação do Tribunal Penal Internacional (TPI) sobre os supostos crimes de guerra cometidos durante a invasão russa da Ucrânia, declarou nesta sexta-feira (27) à AFP o procurador-geral da corte.

"O convite está aí. Minha porta está aberta, e vou também seguir batendo na porta da Federação da Rússia", disse Karim Khan, durante uma entrevista na sede do TPI em Haia.

"Se há alegações da Federação da Rússia, se há informações que eles têm, se estão conduzindo suas próprias investigações ou processos ou têm informações relevantes, compartilhem conosco", acrescentou.

O jurista britânico insistiu que os culpados por crimes de guerra podem ser levados a julgamento, mas se recusou a dizer se o próprio presidente russo, Vladimir Putin, poderia um dia ser um suspeito.

Nem a Rússia nem a Ucrânia são membros do TPI, mas Kiev aceitou a competência da corte e está trabalhando com a Procuradoria na investigação de possíveis crimes de guerra e de lesa-humanidade cometidos em seu território.

O procurador anunciou uma investigação sobre a situação da Ucrânia quatro dias depois do início da ofensiva russa, que, desde então, já recebeu luz verde de dezenas de Estados-membros do Tribunal de Haia.

A Rússia afirma que as acusações de crimes de guerra são falsas e Putin justificou a invasão dizendo que a Ucrânia estava supervisionando um "genocídio" no leste do país.

"Se alguém faz essas acusações, coopere, compartilhe a informação", ressaltou Khan. "Se forem notícias falsas, vamos expô-las."

TPI


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade