UAI
Publicidade

Estado de Minas PEQUIM

Presidente chinês se mantém firme com estratégia 'zero covid', apesar do custo econômico


06/05/2022 07:20

A política de "zero covid", que implica em confinamentos e em testes massivos da população, é custosa para a economia, advertiram, nesta sexta-feira (6), os especialistas, depois que o presidente Xi Jinping fez um pedido para proseguir com este caminho na China.

Segundo os números oficiais, a rígida política anti-covid permitiu a China limitar a pouco mais de 5.000 o número de mortos desde o início da pandemia.

Há um mês, os 25 milhões de habitantes de Xangai se encontram sob confinamento, devido a um surto epidêmico e os habitantes de Pequim podem ter o mesmo destino.

Esses confinamentos penalizam a economia e caso se generalize por todo país a realização de testes a cada 48 horas - como já fazem algumas cidades -, poderia custar à China até 2,3% de crescimento este ano, segundo o banco Nomura.

No entanto, o presidente Xi Jinping pediu, nesta quinta-feira (5), para prosseguir com a política "zero covid" e "combater de forma clara" tudo aquilo que "questiona" essa estratégia, segundo a agência Xinhua.

O poder comunista chinês está satisfeito com a sua estratégia sanitária, prova da superioridade de seu sistema político, em comparação com os milhões de mortos que a pandemia deixou no resto do mundo.

NOMURA HOLDINGS


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade