UAI
Publicidade

Estado de Minas NOVA YORK

Morre segundo policial de Nova York ferido em tiroteio no Harlem


25/01/2022 18:28

Um policial de 27 anos sucumbiu aos ferimentos de um tiroteio na última sexta-feira no Harlem, no qual outro colega morreu, um drama que pressiona o novo prefeito democrata de Nova York, Eric Adams, devido ao aumento da violência armada.

"É com grande tristeza que anuncio a morte do policial Wilbert Mora", informou nesta terça-feira (25) o novo chefe do Departamento de Polícia de Nova York (NYPD), Keechant Sewell.

"Ele foi morto, aos 27 anos, no desempenho de suas funções, e lutou até o fim", acrescentou o Departamento de Polícia de Nova York em sua conta no Twitter.

Na noite de sexta-feira, Mora foi ferido quando foi a uma casa no Harlem, após receber uma ligação de uma mãe sobre uma briga com o filho. Seu colega de 22 anos, Jason Rivera, foi morto instantaneamente pelo suspeito, um homem de 47 anos que morreu na segunda-feira após ser ferido no tiroteio.

Este incidente eleva a cinco o número de policiais que foram baleados na metrópole de quase 9 milhões de pessoas desde 1º de janeiro, data em que Eric Adams, ex-capitão de polícia eleito prefeito de Nova York, assumiu o cargo com a promessa de trazer segurança às ruas da cidade.

Adams anunciou na segunda-feira uma série de medidas de "intervenção e prevenção" para combater a proliferação de armas na cidade e fortalecer os programas sociais para manter os jovens fora das ruas.

Entre as medidas estão o restabelecimento das patrulhas da polícia civil, as famosas "unidades contra o crime" rebatizadas de "unidades contra armas de fogo", suprimidas em 2020 após a morte de George Floyd, asfixiado por um policial em Minneapolis o que provocou uma onda de protestos sobre o racismo policial contra as minorias, principalmente os negros.

Durante o mandato de Michael Bloomberg como prefeito (2002-2013), essas patrulhas eram temidas por causa das polêmicas buscas de jovens negros e latinos suspeitos de portar armas.

Além desses ataques contra a polícia, a capital financeira dos EUA foi abalada por vários eventos violentos que lembram os nova-iorquinos da insegurança de décadas passadas.

Entre eles está o assassinato de uma garota porto-riquenha de 19 anos em um restaurante de fast-food no East Harlem, e uma bala perdida que feriu um bebê de 11 meses em uma rua do Bronx. Também houve a morte de uma americana de origem asiática que foi empurrada para os trilhos do metrô por um mendigo esquizofrênico.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade