UAI
Publicidade

Estado de Minas EL CALLAO

Navio envolvido em derramamento de petróleo no Peru permanece ancorado a 6 milhas da costa


25/01/2022 16:50

O navio-tanque italiano "Mare Doricum" permanece ancorado nesta terça-feira (25) a seis milhas da costa peruana, sob vigilância da Marinha, dez dias depois de um derramamento de petróleo atribuído ao tsunami causado pela erupção vulcânica em Tonga, no Pacífico Sul.

Uma equipe da AFP navegou durante uma hora e meia em uma pequena embarcação esportiva desde o porto de Callao, nos arredores de Lima, até se aproximar do navio envolvido no derramamento, ocorrido no sábado, 15 de janeiro, enquanto descarregava o óleo na refinaria de La Pampilla, que é de propriedade da companhia espanhola Repsol.

O navio-tanque italiano tem 274 metros de comprimento e capacidade para transportar quase 1 milhão de barris de petróleo. A equipe da AFP pôde observar um punhado de tripulantes vestidos com macacões laranja limpando o convés e uma dupla de oficiais da Marinha peruana na torre d comando da embarcação, enquanto uma lancha da Guarda Costeira circulava a cerca de 300 metros de distância.

O barco está impedido de zarpar enquanto estiverem em curso as investigações para esclarecer os fatos e determinar as responsabilidades pelo derramamento, classificado como "desastre ecológico" pelas autoridades peruanas.

O petróleo derramado alcançou cerca de 20 praias ao norte de Lima, matou um número indeterminado de aves marinhas e deixou centenas de pescadores artesanais sem poder trabalhar.

Além disso, o acidente aconteceu no meio do verão, afetando os que vivem de negócios nas praias, como donos de restaurantes e barraqueiros.

O Ministério do Meio Ambiente confirmou em um novo balanço que mais de 180 hectares - o que equivale a 270 campos de futebol - de praias foram atingidos pela mancha de óleo, além de 713 hectares de superfície no mar.

No último sábado, o governo peruano declarou "emergência ambiental" por 90 dias na "zona marítima costeira atingida" pelo vazamento. Ontem, brigadas enviadas pela Repsol, militares e voluntários completaram uma semana de trabalhos de limpeza nas praias e encostas atingidas pela mancha.

Também nesta segunda, uma missão de nove especialistas em desastres ambientais enviada pela ONU chegou a Lima "para realizar uma avaliação rápida do impacto socioambiental e assessorar as autoridades peruanas na gestão e coordenação da resposta ao vazamento de petróleo", indicou a organização internacional.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade