UAI
Publicidade

Estado de Minas TEERÃ

Irã, Rússia e China empreendem manobras contra a pirataria marítima


21/01/2022 11:54

Irã, Rússia e China iniciaram nesta sexta-feira (21) exercícios navais e aéreos no oceano Índico com o cenário da liberação de dois navios que caíram nas mãos de piratas, disse a agência de notícias iraniana Irna.

"Segundo uma hipótese, as unidades navais e aéreas dos três países liberaram dois navios mercantes sequestrados por piratas em águas internacionais", afirmou o almirante Mostafa Tajeddini, porta-voz das manobras.

Nesta região, os ataques costumam ser obra de piratas somalis.

No início de novembro, tentaram pela segunda vez em duas semanas atacar um navio petroleiro iraniano no golfo de Aden.

O navio se dirigia ao estreito estratégico de Bab Al Mandeb, entre o Mar Vermelho e o oceano Índico, quando seis piratas - a bordo de quatro embarcações - tentaram se apoderar dele, mas se viram obrigados a fugir após os tiros de advertência da Marinha iraniana, informou uma fonte militar.

Em 16 de outubro, os piratas já lançaram um ataque contra um comboio de dois petroleiros iranianos na mesma área. A Marinha iraniana que escoltava os petroleiros atirou contra eles, fazendo-os fugir.

O estreito de Bab Al Mandeb é usado por vários petroleiros que viajam para a Europa através do Canal do Suez, mais ao norte.

Essas manobras de três dias acontecem em uma superfície de 17.000 km2 com a participação de onze unidades marítimas do Exército do Irã, três unidades da Marinha da Guarda Revolucionária, três unidades da Rússia e duas unidades da China.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade