UAI
Publicidade

Estado de Minas CABUL

Afegãos precisam de ajuda humanitária 'sem considerações políticas', diz vice-primeiro-ministro talibã


07/01/2022 11:47

O vice-primeiro-ministro e co-fundador do Talibã, Abdul Ghani Baradar, pediu nesta sexta-feira (7) à comunidade internacional que apoie os afegãos "sem levar em conta as considerações políticas", em um momento em que o país vive uma grave crise humanitária.

"O mundo deve apoiar o povo afegão sem levar em conta considerações políticas e cumprir com suas obrigações humanitárias", declarou em um vídeo divulgado pelos veículos de comunicação do Estado.

O responsável acrescentou que em alguns lugares "as pessoas não têm alimentos, teto, roupa quente ou dinheiro".

A neve cobre há vários dias uma grande parte do centro e norte do Afeganistão e várias regiões do sul foram paralelamente afetadas por inundações.

Segundo Abdul Ghani Baradar, tudo isso complica a vida dos afegãos, já muito afetados pela suspensão da ajuda humanitária internacional, embora o responsável tenha afirmado que os talibãs estão dispostos a enfrentar essa "situação de emergência".

Desde a queda do governo afegão anterior, apoiado pelos Estados Unidos e seus aliados, em agosto, os países ocidentais encerraram a ajuda humanitária ao país.

Os Estados Unidos congelaram quase 10 bilhões de dólares de reservas do Banco Central afegão e o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional (FMI) também suspenderam sua ajuda.

A ONU alertou que o Afeganistão estava prestes a se afundar em uma das piores catástrofes humanitárias do mundo.

Segundo diversas organizações internacionais, mais da metade dos 38 milhões de habitantes do país será afetada pela fome.

Em dezembro, pareceu haver um avanço, com a aprovação de uma resolução da ONU que facilita durante um ano a ajuda humanitária ao Afeganistão e a promessa da Organização da Cooperação Islâmica (OCI) de lançar um fundo de doações e tentar desbloquear uma parte dos bens do país.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade