UAI
Publicidade

Estado de Minas MÉXICO

ONU denuncia caso de ativista torturado e preso no México


14/12/2021 20:11

O Comitê da ONU contra a Tortura denunciou nesta terça-feira (14) que um ativista pelos direitos dos povos indígenas foi vítima de maus tratos e injustamente preso no México.

Uma declaração do Comitê divulgada de Genebra concluiu que, após estudar o caso do ativista Damián Gallardo, "ele foi vítima de tortura no México".

"A prisão e tortura de um defensor dos direitos humanos evidencia a criminalização do protesto social", denunciou.

Segundo o grupo de especialistas da ONU, o integrante do povo indígena Ayuujk de Santa María Tlahuitoltepec, da região do Mixe (Oaxaca, sul), promovia a educação nas comunidades indígenas daquela área.

Gallardo também participou de protestos do Sindicato Nacional dos Trabalhadores na Educação em 2013.

Em maio daquele ano, sete policiais invadiram sua casa enquanto ele descansava "e o prenderam sem mandado", acusou o comitê.

O ativista foi detido e mantido incomunicável em um centro clandestino "onde foi espancado por policiais para que divulgasse informações sobre outros participantes do movimento", detalhou o documento.

"O senhor Gallardo Martínez foi submetido a atos de tortura que buscavam dobrar sua vontade ao extremo", disse Peter Vedel Kessing, membro do Comitê, citado no texto.

O ativista foi transferido para um presídio de segurança máxima em Guadalajara (Jalisco, oeste), onde ficou detido por mais de cinco anos até que o Ministério Público federal solicitou o arquivamento do caso, em dezembro de 2018.

De acordo com o Comitê da ONU, durante esse período, "ele foi brutalmente espancado, submetido a exame oral e anal, privado de água e sono, além de ter sido mantido em confinamento solitário por 22 horas por dia".

O apelo da ONU ao Estado mexicano ocorre no momento em que o México enfrenta uma grave crise de violência contra ativistas de direitos humanos.

No México, pelo menos 68 defensores dos direitos humanos foram assassinados durante o governo do presidente de esquerda Andrés Manuel López Obrador, que assumiu o cargo em dezembro de 2018, segundo relatórios do Ministério do Interior.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade