UAI
Publicidade

Estado de Minas LONDRES

Londres propõe a Paris patrulhas conjuntas no litoral francês contra o tráfico de migrantes


25/11/2021 08:19

O governo britânico reiterou nesta quinta-feira (25) uma proposta de patrulhas conjuntas na costa francesa do Canal da Mancha, onde 27 migrantes morreram na quarta-feira, uma ideia rejeitada anteriormente por Paris, cujo governo pediu para que a tragédia não seja instrumentalizada com fins políticos.

Em uma conversa telefônica na quarta-feira à noite, o primeiro-ministro britânico Boris Johnson e o presidente francês Emmanuel Macron concordaram em "intensificar os esforços e manter toda as opções sobre a mesa" para enfrentar os grupos de traficantes que organizam travessias ilegais, informou um porta-voz de Downing Street.

Porém, a tensão persiste entre os países. Um comunicado divulgado pelo Palácio do Eliseu afirma que Macron espera que o Reino Unido "coopere plenamente e se abstenha de instrumentalizar uma situação tão dramática com fins políticos".

Macron também insistiu que a França e o Reino Unido têm uma "responsabilidade compartilhada" no drama e pediu uma cooperação "eficaz".

Tom Pursglove, secretário de Estado britânico para Imigração, disse que Johnson reiterou uma proposta, rejeitada anteriormente por Paris por motivos de soberania, de organizar patrulhas franco-britânicas nas costas francesas para impedir a saída das embarcações.

"Espero que os franceses reconsiderem esta proposta", declarou à BBC.

Após uma reunião de crise na quarta-feira, Johnson acusou as autoridades francesas de não fazer o suficiente para impedir as travessias, apesar de terem recebido mais de 60 milhões de euros (67 milhões de dólares) de contribuição britânica para reforçar a vigilância de suas costas.

"O que propomos é aumentar nosso apoio, mas também trabalhar com nossos sócios nas praias afetadas", explicou Pursglove.

O tema das travessias clandestinas, que reforça com frequência as tensões entre Londres e Paris, é delicado para o governo conservador de Johnson, que transformou a luta contra imigração em uma prioridade após o Brexit.

Depois da tragédia de quarta-feira, a mais grave registrada no Canal da Mancha, vários jornais britânicos denunciaram a suposta falta de vontade dos franceses.

O jornal The Sun publicou uma foto na primeira página que afirma ser de uma viatura policial francesa que permitiu a um grupo de migrantes com coletes vermelhos levar um barco inflável até a água. "Eles não fazem nada", escreveu.

"É realmente o momento de apontar o dedo? (...) É o momento de não lutar juntos contra os traficantes?", reagiu o deputado francês Bruno Bonnell, do partido LREM do presidente Macron.

"De 30.000 pessoas que tentam cruzar o Canal, 60% são detidas", declarou ao canal britânico Sky News, admitindo que é insuficiente.

"Mas isto acontece durante a noite em praias pequenas. A polícia não pode estar em todas as partes, sejamos realistas", completou.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade