UAI
Publicidade

Estado de Minas JERUSALÉM

Ataque com arma de fogo em Jerusalém deixa um morto e três feridos


21/11/2021 13:22

Pelo menos uma pessoa morreu, e três ficaram feridas em um ataque com arma de fogo cometido por um palestino membro do Hamas, na Cidade Velha de Jerusalém, neste domingo (21) - informaram autoridades israelenses.

"Por volta das 9h locais (4h em Brasília), um terrorista armado abriu fogo na Cidade Velha de Jerusalém. Dois civis ficaram gravemente feridos, e dois policiais ficaram levemente feridos", relatou a polícia israelense.

O Hospital Hadassah em Jerusalém, para onde as vítimas foram transferidas, disse que uma pessoa de 30 anos não resistiu aos ferimentos e morreu.

Trata-se do imigrante sul-africano Eliyahu Kaye, de 25 anos, recém-chegado ao território.

Ele perdeu a vida "enquanto ia para o trabalho", disse o organismo que administra o Muro das Lamentações, o local de oração mais sagrado para os judeus.

Imediatamente após o ataque, vários policiais foram posicionados na Cidade Velha, onde o corpo do agressor permaneceu por um longo tempo no chão.

O ministro israelense da Segurança Pública, Omer Bar-Lev, declarou na televisão que o agressor era palestino, "membro do Hamas" e que vivia no bairro de Shuafat, em Jerusalém Oriental. Segundo a polícia, tinha 42 anos.

"Sua esposa deixou (o país) há três dias, e seu filho também se encontra no exterior (...). Parece que o ataque foi premeditado", acrescentou.

Em um comunicado, a liderança do Hamas confirmou que o agressor Fadu Abu Shukhaydam era membro da organização. O movimento islâmico não assumiu a responsabilidade pelo ataque.

"Nosso mártir de Jerusalém passou sua vida pregando a 'jihad' (...), esta operação heroica é uma advertência ao nosso inimigo e a seu governo para que parem de ocupar nossa terra", declarou o Hamas em um comunicado divulgado da Faixa de Gaza, enclave palestino sob seu controle.

Depois do ataque, o primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, pediu que "se "reforce" o dispositivo de segurança em Jerusalém e fez um apelo à população e à polícia para que permaneçam "vigilantes", às vésperas do feriado judaico de Hanukkah, elebrado a partir de 28 de novembro.

O presidente Yitzhak Herzog, que embarcou hoje para Londres, disse que "a comunidade internacional deve reconhecer o Hamas como uma organização terrorista", conforme um comunicado divulgado por seu gabinete.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade