UAI
Publicidade

Estado de Minas LIMA

Líder opositora Keiko Fujimori apoia moção para destituir presidente do Peru


19/11/2021 20:08

A líder da oposição peruana Keiko Fujimori anunciou nesta sexta-feira (19) que seu partido, a segunda bancada no Congresso, apoiará um pedido de impeachment do presidente de esquerda Pedro Castillo, menos de quatro meses depois de sua chegada ao poder.

"No Força Popular acreditamos que este governo tem demonstrado uma permanente incapacidade para conduzir o país. Por isso, a Bancada FP (Força Popular) decidiu assinar a moção de vacância presidencial", disse Keiko Fujimori por meio de sua conta no Twitter.

A decisão de Fujimori, que compromete seus 24 congressistas, dá um impulso vital à solitária proposta da legisladora conservadora Patricia Chirinos, que havia instado seus colegas na quinta-feira a reunir as 26 assinaturas necessárias para apresentar formalmente o pedido.

Pouco antes do anúncio, o partido de extrema direita Renovação Popular também divulgou seu apoio com seus nove parlamentares.

A possível destituição de Castillo está no ar desde o dia seguinte à sua eleição, quando os partidos de direita questionaram sua vitória com gritos de fraude, apesar do aval dado aos resultados por autoridades eleitorais e observadores internacionais da OEA e da União Europeia.

Castillo, um professor rural e sindicalista, venceu Keiko Fujimori por uma estreita margem de 44 mil votos na eleição de junho.

"Há um setor do Congresso que decidiu empurrar o impeachment", disse o analista Jeffrey Radzinski, citado pelo jornal La República.

Castillo, que assumiu a presidência em 28 de julho e cujo mandato termina em julho de 2026, é criticado por sua falta de direção e constantes crises ministeriais. Em menos de 120 dias de gestão, ele já mudou uma dezena de ministros e o partido governista Peru Livre (marxista) - a primeira minoria no Congresso com 37 votos - se dividiu.

A desaprovação presidencial chegou a 57%, de acordo com uma pesquisa da Ipsos divulgada em 14 de novembro.

A moção de impeachment precisa do apoio de 26 parlamentares para ser apresentada ao plenário do Congresso, mas então são necessários 40% de votos a favor entre os legisladores presentes para levá-la a discussão. Para destituir o presidente do cargo, são exigidos 87 votos de um total de 130.

Em novembro de 2020, o presidente Martín Vizcarra foi removido do poder em um processo expresso no Congresso. E em março de 2018, Pedro Pablo Kuczysnki renunciou à Presidência na véspera de uma segunda tentativa de impeachment após sair vitorioso de outra em dezembro de 2017.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade