UAI
Publicidade

Estado de Minas LOS ANGELES

'The Rescue' desenterra imagens dos meninos em caverna na Tailândia


05/10/2021 12:24

Depois de seu premiado documentário "Free Solo", sobre um alpinista ousado, Elizabeth Chai Vasarhelyi e Jimmy Chin decidiram se debruçar sobre uma história ainda mais impressionante da vida real: o resgate, em 2018, dos "meninos da caverna" da Tailândia.

Assim como o restante do mundo, o casal ficou perplexo diante da complicada e quase impossível operação de resgate realizada por mergulhadores, fuzileiros navais e centenas de voluntários em cavernas escuras e inundadas.

Depois que os 12 garotos e seu treinador foram retirados, quase por milagre, de sua prisão subterrânea, os cineastas se juntaram com a National Geographic para contar a história na produção "The Rescue", que estreia em 8 de outubro.

"Isso nos emocionou como humanos, como pais asiáticos e como contadores de histórias. Acho que esta é uma das grandes histórias dos últimos dez anos", disse Vasarhelyi à AFP.

Os diretores se debruçaram sobre 87 horas de material nunca visto e obtido da Marinha tailandesa, depois de dois anos de negociação nos quais chefes militares "disseram não de todas as formas possíveis", lembrou Chin.

"Para mim, não era justo. Se o material existia, o mundo tinha que vê-lo", acrescentou sua esposa, Vasarhelyi.

As filmagens dos bastidores mostram o momento de euforia, em que dois mergulhadores britânicos voltam da entrada da caverna anunciando que haviam localizado os meninos. Mostram também o precário sistema usado para transportá-los em macas para fora da caverna.

A produção se concentra, porém, em especial nas personalidades e nas histórias dos improváveis heróis de resgate.

Foram as habilidades únicas e os dispositivos caseiros do grupo de amadores de meia-idade que lhes permitiram chegar a seções da caverna, as quais os mergulhadores militares não podiam acessar.

"Aqui estão estes guerreiros de fim de semana. Um é um bombeiro aposentado; outro, um meteorologista; e outro, um consultor de informática, um eletricista", descreve Vasarhelyi.

"Eles são como desajustados, se sentem estranhos. Encontraram propósito nessa subcultura muito estranha do mergulho em cavernas nos finais de semana, que foi o que lhes permitia serem os melhores do mundo", acrescenta.

Os mergulhadores não aparecem apenas nas entrevistas, mas reencarnam momentos-chave do resgate diante das câmeras para o filme.

Elon Musk não aparece no filme. Ele viajou para a Tailândia com um protótipo de minissubmarino rejeitado pelos mergulhadores, que o consideraram inutilizável.

"Esta é uma história tão rica que este evento em particular não teve impacto no resgate", disse Vasarhelyi.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade