UAI
Publicidade

Estado de Minas NAÇÕES UNIDAS

Conselho de Segurança fará reunião urgente sobre Coreia do Norte (diplomatas)


29/09/2021 21:18 - atualizado 29/09/2021 21:19

O Conselho de Segurança da ONU fará uma reunião de emergência nesta quinta-feira sobre a Coreia do Norte, que lançou um míssil hipersônico. A reunião será celebrada a pedido de Estados Unidos, França e Reino Unido, informaram fontes diplomáticas.

O encontro será celebrado a portas fechadas, a princípio durante a manhã, informou à AFP uma fonte, que não informou se o mesmo terminará com uma declaração conjunta do Conselho de Segurança.

A demanda trilateral de Washington, Paris e Londres é a primeira marca de união entre as três capitais desde a crise que opôs a França aos Estados Unidos e ao Reino Unido no caso dos submarinos australianos. Também é a primeira vez em muito tempo que os Estados Unidos tomam a iniciativa em uma reunião de emergência do Conselho de Segurança sobre a Coreia do Norte.

Este último país anunciou hoje que conduziu com sucesso o teste de um míssil hipersônico, o que poderia representar um grande avanço tecnológico.

Nesta quarta, o líder norte-coreano, Kim Jong Un, recusou uma oferta de diálogo dos Estados Unidos, tachando-a de "fachada para mascarar sua decepção e seus atos hostis", segundo a imprensa estatal norte-coreana.

Os contatos entre os dois países, iniciados sob o mandato de Donald Trump, foram interrompidos em 2019 após o fracasso da segunda cúpula entre o presidente republicano e o líder norte-coreano em Hanói, Vietnã.

Desde que chegou à Casa Branca, o governo de Joe Biden tem oferecido reiteradamente ao isolado regime comunista um encontro em qualquer lugar, a qualquer momento e sem condições prévias.

Kim condenou estas propostas como "nada além de uma fachada para mascarar sua mentira e seus atos hostis, e uma extensão da política hostil das administrações anteriores", segundo o jornal oficial Rodong Sinmun.

Com a chegada de Biden, "a ameaça militar americana e a política hostil para conosco não mudaram em absoluto, mas se tornaram mais maliciosas", disse durante um longo discurso à Assembleia Suprema do Povo, o Parlamento de partido único norte-coreano.

As tensões aumentaram nas últimas semanas na península coreana, onde tanto o Norte quanto o Sul exibiram com pompa as inovações tecnológicas de seu armamento.

Na quarta-feira, Pyongyang assegurou que tinha testado com êxito um míssil de hipersônico, um artefato muito mais ágil e rápido do que os convencionais, e também mais difícil de ser interceptado pelos sistemas de defesa.

Previamente, o regime comunista, dotado de armas nucleares, tinha lançado mísseis de cruzeiro de longo alcance e outros de curto alcance, disparados de um trem.

O Sul, por sua vez, anunciou o primeiro teste bem sucedido de mísseis lançados de um submarino (SLBM), uma tecnologia disponível apenas em um punhado de países.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade