UAI
Publicidade

Estado de Minas WASHINGTON

CIDH condena uso excessivo da força contra migrantes no México


27/09/2021 19:48

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) condenou nesta segunda-feira (27) o uso excessivo da força contra migrantes no sul do México e instou o governo de Andrés Manuel López Obrador a investigar o ocorrido e tomar medidas para evitar que se repita.

A CIDH, uma entidade da Organização dos Estados Americanos (OEA), também pediu reparação às vítimas de violência contra caravanas de migrantes, registrada no estado de Chiapas, na fronteira com a Guatemala, entre o final de agosto e o início de setembro.

"Para impedir sua passagem para a fronteira norte do país, o Instituto Nacional de Migração (INM) e a Guarda Nacional, em contravenção às normas interamericanas na matéria, utilizaram a força em operações de controle migratório", afirmou a CIDH em nota, citando vídeos postados nas redes sociais.

Destacou que foram denunciadas "agressões e golpes" sem direito de defesa, e que estavam envolvidos membros do Exército e dos Grupos Beta do IMM, criados para proteger os migrantes. Também mencionou relatos de pessoas expulsas para a Guatemala que receberam choques elétricos para forçá-las a embarcar nos ônibus.

O uso da força "somente será empregado quando todos os demais meios de controle se esgotarem ou falharem, e deve ser sempre estritamente proporcional e necessário para alcançar um objetivo lícito e razoável nas circunstâncias de cada caso", ressaltou a CIDH.

Caravanas compostas por centenas de migrantes da América Central, além de haitianos, foram detidas à força semanas atrás em Chiapas, enquanto tentavam chegar aos Estados Unidos, fugindo da violência e da pobreza em seus países.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade