UAI
Publicidade

Estado de Minas BOGOTÁ

Ataque de supostos dissidentes das Farc deixa cinco mortos na Colômbia


26/09/2021 20:23

Cinco pessoas morreram em um ataque de supostos dissidentes da ex-guerrilha das Farc, denunciaram autoridades neste domingo (26).

Homens armados atiraram contra um "estabelecimento público" em uma área rural de Tumaco, município fronteiriço com o Equador no departamento de Nariño (sudoeste), informou o exército em um comunicado.

Duas pessoas morreram no local e outras três em hospitais às quais foram levadas com ferimentos à bala.

Segundo a informação do exército, dissidentes das Farc pertencentes à coluna Urías Rendón "chegaram ao estabelecimento em um veículo, efetuando vários disparos de forma indiscriminada". Outras seis pessoas ficaram feridas.

O major-general Álvaro Pérez detalhou que ainda são investigados os motivos do ataque, embora tenha assegurado que na região se intensificaram os confrontos armados recentemente.

Nesta região opera outra dissidência conhecida como Frente Óliver Sinisterra e os Contadores, principal grupo narcotraficante deste departamento.

Segundo a ONG Indepaz, uma das vítimas era uma menor de 15 anos. A organização estima que em 2021 tenham ocorrido 73 massacres no país.

A Colômbia vive uma das piores investidas de grupos armados desde a assinatura de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em 2016.

Apesar de o acordo ter desarmado a então guerrilha mais poderosa das Américas, ainda operam no país vários grupos rebeldes que ficaram à margem do pacto e grupos dedicados ao narcotráfico que disputam as rédeas do negócio das drogas.

O governo do conservador Iván Duque responsabiliza os grupos que se financiam com o narcotráfico e o garimpo ilegal pelos assassinatos. Para especialistas, algumas falhas na implementação do acordo permitiram que antigos redutos das Farc sejam ocupados por outros atores, mantendo o conflito.

O Exército de Libertação Nacional (ELN), última guerrilha reconhecida oficialmente, também está presente em uma centena de municípios e é constantemente acusada de atentados contra a força pública e civis.

A prefeita de Tumaco, María Emilsen Angulo, denunciou que homens armados estão provocando "caos, pânico e intranquilidade aos cidadãos". Os últimos ataques foram realizados "em estabelecimentos comerciais, bares e discotecas", denunciou.

Com cerca de 9.800 hectares de plantas de coca semeadas, este é o segundo município com mais narcocultivos do país, o que o torna um alvo de guerra entre os grupos.

Além disso, ali fica o principal porto do Pacífico colombiano, de onde partem milhares de toneladas de cocaína rumo aos Estados Unidos e a Europa. A Colômbia é o maior produtor desta droga do mundo, segundo a ONU.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade